Vias de administração e influência da absorção de fármacos

Vias de administração e influência da absorção de fármacos

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO E INFLUÊNCIA NA ABSORÇÃO DE FÁRMACOS

Controle e garantia de qualidade de medicamentos, insumos e cosméticos

Vias de administração de medicamentos

  • São vias pelas quais os medicamentos podem ser administrados, isso porque, estas vias interferem no início e na duração dos efeitos farmacológicos de um medicamento.

  • A administração de medicamentos: eficiência, segurança e responsabilidade - terapêutica completo, melhora dos quadro clínico.

Vias de administração de medicamentos

  • Deve-se ter o conhecimento sobre informações farmacológicas do medicamento: farmacocinética, farmacodinâmica, dose máxima e efetiva e intervalo entre as doses, métodos, vias e técnicas de administração.

  • O método de administração de medicamentos depende:

  • Rapidez com que deseja a ação;

  • Natureza e quantidade da droga;

  • Condições do paciente.

Vias de administração de medicamentos

Via de administração de medicamentos: ENTERAL

ABSORÇÃO

  • Fatores ligados ao medicamento:

  • Lipossolubilidade;

  • Peso molecular;

  • Grau de ionização;

  • Concentração.

  • Ligados ao organismo:

  • Vascularização do local;

  • Superfície de absorção;

  • Permeabilidade capilar.

Via de administração de medicamentos: ORAL

  • A absorção pode ocorrer na boca, intestino delgado e em menor extensão no estômago e intestino delgado.

  • Formas farmacêuticas:

  • Comprimidos;

  • Cápsulas;

  • Drágeas;

  • Suspensões;

  • Emulsões;

  • Elixires;

  • Xaropes e;

  • Soluções.

Via de administração de medicamentos: ORAL

  • Vantagens:

  • É uma via bem aceita pelos pacientes;

  • Mais segura;

  • Econômica;

  • Conveniente.

  • Desvantagens:

  • Mal absorção de alguns fármacos;

  • Inativação de fármacos pelo suco digestivo;

  • Formação de complexos insolúveis com alimentos;

  • Apresenta metabolismo de primeira passagem;

  • Alguns medicamentos são irritantes da mucosa digestiva;

  • Não deve ser usado quando há êmese ou dificuldade de deglutição;

  • Sabor e odor desagradável dificultam a deglutição.

Via de administração de medicamentos: SUBLINGUAL

  • Consiste em colocar o medicamento debaixo da língua.

  • Formas farmacêuticas:

  • Comprimidos.

  • Vantagens:

  • Retenção do fármaco por tempo maior;

  • Absorção rápida;

  • O fármaco absorvido passa diretamente à corrente circulatória;

  • Impede o efeito de primeira passagem e ação de enzimas digestivas

Via de administração de medicamentos: SUBLINGUAL

  • Desvantagens:

  • O indivíduo fica temporariamente impedido de utilizar a boca;

  • Só permite a administração de baixo volume de droga.

Via de administração de medicamentos: RETAL

  • É a introdução de medicamento no reto.

  • Formas farmacêuticas:

  • Soluções;

  • Suspensões e;

  • Supositórios.

  • Vantagens:

  • Utilizadas em pacientes impedidos de utilizar outra via;

  • Protege fármacos suscetíveis das inativações gastrintestinais e hepáticas;

  • É uma via de uso em pediatria, geriatria e psiquiatria.

Via de administração de medicamentos: RETAL

  • Desvantagens:

  • Incomodidade de administração;

  • Possibilidade de irritação da mucosa e absorção errática;

  • Dor e rejeição do conteúdo;

  • Droga deve ter pH básico e a droga é altamente lipossolúvel.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL

Vias de administração de medicamentos: PARENTERAL

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL DIRETA - INTRAVENOSA

  • É a introdução do medicamento diretamente na corrente sanguínea.

  • Forma farmacêutica:

  • Soluções aquosas.

  • Métodos de administração:

  • Injeção intermitente;

  • Injeção em bolo e;

  • Infusão contínuo.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL DIRETA - INTRAVENOSA

  • Vantagens:

  • Efeito imediato e níveis plasmáticos previsíveis;

  • 100% biodisponível;

  • Indicação em emergências médicas e em presença de baixo fluxo sanguíneo periférico;

  • Infusão de substâncias irritantes por outras vias ou de grandes volumes.

  • Desvantagens:

  • Necessidade de assepsia e antissepsia;

  • Necessidade de pessoa treinada;

  • Menor segurança e efeitos agudos;

  • Maior custo de preparação;

  • Efeitos locais indesejáveis;

  • Ocorrência de hematomas.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL DIRETA - INTRAMUSCULAR

  • É uma via que permite administração de drogas na profundidade de músculos.

  • Formas farmacêuticas:

  • Soluções aquosas, oleosas e suspensões.

  • Vantagens:

  • É mais segura que a intravenosa;

  • Permite a administração de pequenos volumes de drogas.

  • É uma via de baixa sensibilidade dolorosa, devido a baixa inervação.

  • Concentração plasmáticas terapêuticas prolongadas.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL DIRETA - INTRAMUSCULAR

  • Desvantagens:

  • Efeitos adversos;

  • Dor e sangramento locais quando o músculo estiver contraído;

  • Não permite a administração de substâncias irritantes, com pH diferente do local, substâncias hipertônica e ansiotônicas.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL DIRETA - SUBCUTÂNEA

  • É aquela onde a droga é administrada no tecido subcutâneo.

  • Formas farmacêuticas:

  • Soluções e;

  • Suspensões.

  • Não permite a administração de substâncias irritantes e como o pH distante do pH local.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL DIRETA - INTRADÉRMICA

  • É aquela onde a droga é administrada entre a derme e a epiderme.

  • Formas farmacêuticas:

  • Pomadas;

  • Soluções.

  • Vantagens:

  • Usado para administração contínua lenta;

  • Sem efeito de primeira passagem.

  • Desvantagens:

  • Alta sensibilidade dolorosa.

  • Restrita;

  • Usada apenas para pequenos volumes.

Outras vias DIRETAS

  • Via INTRATECAL;

  • Via PERIDURAL;

  • Via INTRA-ARTERIAL;

  • Via INTRA-ARTICULAR.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL INDIRETA – CUTÂNEA

  • É a via pela qual os medicamentos são administrados na pele.

  • Formas farmacêuticas:

  • Cremes;

  • Géis;

  • Adesivos transdérmicos.

  • Vantagens:

  • Minimiza a ocorrência de efeitos adversos sistêmicos (uso tópico);

  • Evita o efeito de primeira passagem.

  • Desvantagens:

  • Absorção pobre e errática;

  • Irritação local e alergias;

  • Fotossensibilidade.

Via de administração de medicamentos: RESPIRATÓRIA

  • É uma via de administração, que consiste na aplicação de fármacos dentro do nariz.

  • Formas farmacêuticas:

  • Soluções;

  • Pomadas e;

  • Sprays.

  • Vantagens:

  • Para efeitos locais, minimiza a ocorrência de efeitos adversos.

  • Evita o efeito de primeira passagem;

  • Absorção relativamente rápida para algumas drogas.

  • Desvantagens:

  • Absorção pobre e errática;

  • Irritação local e alergias.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL INDIRETA - CONJUNTIVAL

  • Via utilizada quando se pretende um efeito local.

  • Formas farmacêuticas:

  • Cremes;

  • Pomadas;

  • Soluções;

  • Vantagens:

  • Absorção mínima;

  • Minimiza a ocorrência de efeitos adversos;

  • Evita o efeito de primeira passagem.

  • Desvantagens:

  • Irritação local e alergia;

  • Risco de catarata;

  • Absorção pobre e errática.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL INDIRETA - GENITURINÁRIA

  • É a via indireta que envolve os canais uretral e vaginal, abrangendo tratamentos de efeitos sistêmicos ou não. São utilizados em diversas formas de apresentação farmacêutica, visto que as viasuretral e vaginal são comuns pela sua origem embrionária comum: surgem a partir do seio urogenital.

  • Vantagens:

A classe médica já defende a vagina como uma ótima opção para administração e absorção de medicamentos, permitindo:

  • Ingestão de dosagens menores, causando diminuição dos efeitos colaterais;

  • Boa opção para absorção;

  • Fármaco não sofre metabolização hepática;

  • Tem biodisponibilidade três vezes maior que um fármaco na via oral e ;

  • Paciente pode usar sozinha.

  • Desvantagens:

  • Não é indicado para uso sistêmico, pois envolvem as influências do ciclo menstrual sobre o tecido vaginal, além da influência da composição e do volume de secreções vaginais.

  • O desconforto que o uso do medicamento causa no seu uso/problemas incômodos relacionados a esta via;

  • É de importância quando o paciente demonstra resistência por outras vias de administração, além do fato da rápida absorção que é benéfico quando se deseja uma terapia mais ágil.

Via de administração de medicamentos: PARENTERAL INDIRETA - INTRACANAL

  • Via de uso odontológico exclusivo para obtenção de efeito local de fármacos junto ao canal radicular e zona pulpar.

  • Apesar dos dentes estarem incluídos na cavidade oral, considera-se a via intracanal como parenteral pelo fato do fármaco estar sendo administrado em área pulpar, não mais considerada como pertencente ao trato digestivo. 

Referências

  • CLARK, Michelle A. Farmacologia Ilustrada. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

  • GOODMAN, A. As Bases Farmacológicas da Terapêutica. 12. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

Comentários