8 - Criando o fluxo continuo

8 - Criando o fluxo continuo

(Parte 1 de 5)

Urn Guia de Ac;ao para Gerentes, Engenheiros e Associados da Produc;ao

Mike Rother e Rick Harris Prefacio original de James Womack, Daniel Jones e John Shook

Prefacto da Edic;:aoem Portugues de Nilton Marchiori e Carlos Lobo

Urn Manual Kit de Ferramentas Lean

THE LEAN ENTERPRISEINSTITUTE Brookline, Massachusetts, USA v.lean.org

Sao Paulo - SP v.lean.org. br

o chao de fabrica e um reflexo da administra9aO.

Colabore para a continuidade de nosso trabalho. Por favor, nao reproduza, total ou parcialmente, este manual.

Os resultados da venda deste manual serao revertidos para os autores e para 0 Lean Institute Brasil. Estes recurs os servirao para continuar gerando materiais iiteis para voce.

Agradecimentos aos editores James Womack e John Shook, a OffPiste Design, Artsgraph - Grafica e Editora, aos amigos de muitas empresas e a Dave Lagozzo que cunhou a apropriada frase "Olhos para 0 Fluxo, Olhos para 0 Desperdicio''. Flavio Picchi, Telma Rodriguez e Jose Roberto Ferro colaboraram com a revisao da traducao.

PREFAclO Quando lancamos 0 Aprendendo a Enxergar em 1998, como a primeira publicacao do Lean Enterprise

Institute, incentivamos os leitores a identificar as principais familias de produtos e entao desenhar os mapas dos fluxos de materiais e inforrnacoes como eles existem na pratica. Mostramos que esses mapas podem ser feitos em diferentes niveis, desde um simples processo dentro de uma fabrica, ate 0 caminho total da materia-prima ate 0 produto acabado, e sugerimos que 0 melhor lugar para comecar e com 0 fluxo de inforrnacao e produto dentro dos limites de uma unica planta.

nivel de processo planta

Dlidtiplas plantas varias eDlpresas

Em seguida, estimulamos os leitores a projetar um estado futuro para 0 fluxo de valor de cada familia de produtos, no qual as inforrnacoes deveriam fluir suavemente do cliente para a produ<;:ao, da mesma forma os produtos deveriam fluir suavernente, se possivel continuamente, em direcao ao cliente. Finalmente, sugerimos um plano de implernentacao para atingir rapidamente 0 estado futuro.

Ficamos muito satisfeitos com a res posta ao Aprendendo a Enxergar, que ja vendeu mais de 120.0 c6pias em Ingles e foi traduzido para 0 chines, frances, alemao, japones, portugues, espanhol, sueco e turco. Entretanto, tambern ficamos impressionados com a dificuldade que muitos leitores tern encontrado para atingir de fato 0 fluxo continuo em suas instalacoes.

Ao visitar empresas, frequentemente notamos etapas dos processos realocadas de departarnentos ("ilhas de processo") para celulas por familias de produtos (como sugerido no Aprendendo a Enxergar) mas com fluxo erratico e interrnitente dentro das celulas. 0 volume de producao varia de hora em hora e pequenas pilhas de estoques acumulam-se entre as operacoes. Quando isso ocorre, sabemos imediatamente que metade dos beneficios da organizacao em celulas deixa de ser aproveitado. Alern disso, se a celula estiver localizada antes do processo puxador, que foroece diretamente para 0 cliente, nenhum dos beneffcios chegara ate 0 cliente em funcao das paradas e da instabilidade das operacoes segumtes.

Entao, como criar um verdadeiro fluxo continuo capaz de gerar beneficios ao cliente de forma sustentavel ao longo do tempo? Os metodos nao sao misteriosos. Na verdade, a Toyota e empresas associadas os aperfeicoararn ha anos arras. Porem, verificamos que, para aplicar efetivamente esses rnetodos, gerentes, engenheiros e funcionarios precisam da ajuda de urn sensei (mentor) para acompanha-los pas so a passo de modo a focalizar a visao e orientar suas acoes,

Para atender a essa necessidade, decidimos publicar este manual, dando sequencia ao Aprendendo a Enxergar, de Mike Rother e John Shook. Aqui, saimos do nivel da planta para 0 nivel do processo, quando Mike e Rick Harris pegam na sua mao e mostrarn 0 caminho para se introduzir e sustentar 0 fluxo continuo ao maximo, comecando pelo processo puxador. r-l

,, ,
,, C ~ nlvel de processo

IDliltiplas plantas varias elDpresas

Voce ja deve conhecer Mike do Aprendendo a Enxergar, mas Rick Harris talvez seja um nome novo. Rick iniciou sua carreira no chao de fabrica da General Motors, na cidade de Anderson, Indiana, onde trabalhou durante quinze anos ate ir para a Toyota de Georgetown, Kentucky, onde teve a sua educacao em lean, chegando a ocupar 0 cargo de gerente da Monragern Final. Rick e Mike continuam seu aprendizado lean trabalhando na irnplementacao da producao enxuta em empresas.

Aqueles que ja leram 0 Aprendendo a Enxergar e desenharam cuidadosamente 0 estado atual e futuro, encontrarao nas paginas que seguem a ajuda que faltava para a implernentacao de um fluxo continuo verdadeiro. Outros leitores, que acabam de descobrir a mentalidade enxuta, ou que sao veteranos em melhorias de processo e pensam que precisam de algumas dicas para aperfeicoar as celulas existentes, se beneficiarao ao estudar a primeira secao deste livro para identificar corretamente as famflias de produtos e os processos puxadores.

Mas tome cuidado: desenhar mapas e criar estados futures pode ser animador e divertido. Afinal de contas, qualquer urn pode criar uma belo mapa no papel. Em Criando Fluxo Continuo voce estara lidando com os aspectos reais da implementacao e 0 sucesso estara condicionado it intensa colaboracao entre gerentes, engenheiros e operadores. 0 trabalho sera duro e estara sujeito a erros. Mas os beneficios podem ser enormes e todo 0 conhecimento necessario esta resumido aqui.

Dada a natureza de seu desafio, estamos particularmente ansiosos para saber sobre as dificuldades encontradas e os resultados obtidos. Precisamos ouvir crfticas e sugestoes para aperfeicoarrnos 0 Criando Fluxo Continuo. Por favor, mandem suas mensagens para lean@lean.org.br e nao se esqueca de visitar 0 site da comunidade Lean Internacional (v.lean.org) e no Brasil (v.lean.org.br). Estude cuidadosamente estas paginas, buscando referencias no Aprendendo a Enxergar, quando necessario, Entao, vislumbre a oportunidade de implementar e sustentar 0 fluxo continuo e conte-nos suas experiencias de modo que possamos cornpartilha-las com nossa comunidade de empresas.

James Womack, Daniel Jones e John Shook Brookline, MA, USA; Ross-on- Wye, Hereford, UK; Ann Arbor, MI, USA w.lean.org.br

PREFAclO DA EDIf;AO EM PORTUGUES

Temos a satisfacao de ter contribuido para apresentar a comunidade Lean do Brasil este manual "Criando Fluxo Continuo ", escrito par Mike Rother e Rick Harris, em continuidade ao primeiro lancamento do Lean Institute Brasil, 0 "Aprendendo a Enxergar". Esta nova contribuicao e resultado da grande experiencia dos autores em empresas como a GM e Toyota, entre outras.

A partir do Mapeamento do Fluxo de Valor ("Value Stream Mapping"), que muitos ja conhecem, os autores ajudam-nos a navegar no processo de implementacao do fluxo continuo nos processos puxadores, na busca de atingir 0 estado futuro. Isto e tratado aqui de uma forma original, e mesmo as pessoas mais acostumadas a estes conceitos, encontrarao neste manual urn novo enfoque para este tema,

Todos aqueles que aplicaram os conceitos apresentados no "Aprendendo a Enxergar" rnuito provavelmente passaram pela experiencia de criar celulas para implementar 0 fluxo continuo. E baseados nesta experiencia, podem intuir que isso ja e bastante conhecido e, portanto, muito facil. Com a nossa pr6pria experiencia de muitos anos implementando celulas e fluxo continuo nos mais diferentes ambientes de manufatura, podemos lhes garantir que a conteiido deste livro traz iruimeras novas solucoes e conceitos a urn problema recorrente: como realmente implementar um verdadeiro, e nao um falso, fluxo continuo.

De urn modo bastante pratico e didatico, os autores criticam e apontam exemplos de falso fluxo continuo implernentado em muitas empresas. Eles mostram como melhorar 0 fluxo continuo em uma celula que aparenternente ja 0 implementou. E os autores fazem isso com bastante propriedade, conseguindo transferir para este manual parte importante de suas vastas experiencias. Mesmo para n6s que trabalhamos ha varies anos nesta area, este livro adicionou muito a nossa experiencia e conhecimento.

Pelo que temos visto em imimeras empresas no Brasil, a implernentacao de fluxos continuos tern se limitado a criacao de celulas, ou pseudocelulas, que nao tiveram como objetivo fundamental 0 estabelecimento do verdadeiro fluxo continuo. Assim, esperamos que este manual venha ajudar a sua empresa a trilhar 0 verdadeiro caminho para a producao enxuta,

Voce vai aprender como projetar, implernentar, auditar e melharar a seu fluxo de producao. Mesmo voce que ja implementou celulas na sua empresa ficara impressionado como este manual podera ajudar a melhora-las,

E n6s procuraremos acompanhar de perto esse esforco. Aproveite este trabalho e comece a implernentacao 0 quanto antes!

Nilton Marchiori e Carlos Lobo w.lean.org.br

CONTEUDO Prefacio Original

Prefacio da Edi~ao em Portugues Introdu~ao

Parte I: Come~ando Parte I: Qual e 0 Trabalho?

Parte I: Maquinas, Material e Layout para 0 Fluxo Parte IV: Distribuindo 0 Trabalho

Parte V: Vinculando-se ao Cliente e Regulando 0 Fluxo Parte VI: Implementando, Mantendo e Melhorando

Conclusao

Sobre os Autores e Tradutores

Apendices A: Fluxo Continuo em Resumo

B: Tabela de Combina~ao de Trabalho Padronizado

INTRODUC;Ao Fluxo continuo e 0 objetivo principal da prcducao enxuta e criar fluxo continuo tern sido 0 alvo de imirneros projetos kaizen. Trabalhamos em uma grande variedade de fabricas e pudemos constatar louvaveis esforcos para se criar fluxo continuo. Infelizmente, poucas dessas tentativas podem ser consideradas bem sucedidas.

Por exemplo, parece que rnuitos concentraram esforcos no desenvolvimento de layouts em forrnatos de U ao inves do mais importante: criar e manter urn fluxo continuo eficiente. Qualquer agrupamento de maquinas que desempenhem suas operacoes em uma sequencia e chamado de "celula", mas e raro se encontrar urn fluxo continuo verdadeiro, 0 que caracteriza uma celula de verdade.

Idealmente, os produtos deveriam fluir continua mente pelos fluxos de valor, da materia-prima ao produto acabado. Mas isso pode ser complicado num primeiro momento. It necessario estabelecer um foco. E este deve ser 0 "processo puxador" ou 0 segmento do fluxo de valor em que os produtos apresentam a forma final na perspectiva do cliente. Esses processos normal mente sac os mais importantes segmentos de um fluxo de valor, pois a maneira como eles operam afeta tanto a capacidade de atender adequadamente 0 c1iente como tarnbern define a demanda para os processos anteriores. Um ritmo de producao estavel, mix nivelado de produtos e fluxos de materiais sempre continuos no processo puxador, estabelecem demandas regulares e consistences para 0 seu fluxo de valor.

Ao olharmos mais de perto para muitos processos puxadores, verificamos a existencia de um fluxo erratico e interrnitente de produtos. Nesses casos, nota-se a acumulacao de estoques flutuantes entre as operacoes, excesso de producao em lotes, variacces hora a hora do volume de producao e sub-utilizacao do esforco humano devido it vinculacao das pessoas a maquinas individuais. 0 desempenho foi certamente melhorado em relacao ao processo anterior em layouts funcionais, onde os equipamentos eram agrupados por tipo de maquina, mas um desempenho muito melhor e fluxos de valor ainda mais enxutos podem ser obridos,

o objetivo deste manual e apurar a sua percepcao e fornecer-lhe habilidades para alcancar e manter urn fluxo continuo de materiais verdadeiro e eficiente. Nosso foco serao as celulas baseadas em pessoas por serem muito difundidas e, em um mundo de c1ientes geograficamente dispersos e produtos com ciclos de vida reduzidos, e importante ser capaz de projetar e administrar processos simples, flexiveis, baratos e criativos baseados em rnao-de-obra. Usaremos 0 metodo e 0 processo mental baseados nas experiencias pioneiramente postas em pratica pela Toyota e por suas empresas associadas, que voce pode utilizar em qualquer lugar em que queira criar um fluxo continuo.

As ferramentas e tecnicas podem ser de grande valor, mas 0 mais relevante e que voce e sua equipe tornemse capazes de enxergar e sentir 0 fluxo. Assim que forem colocados em pratica os metod os aqui sugeridos, voce automaticamente devera passar a focar menos no layout e mais no fluxo em si. Mas 0 mais importante e selecionar urn processo puxador e cornecar imediatamente, porque 0 que aprendemos depende da orientacao para a a~ao e da persistencia na implernentacao. ao espere!

Mike Rother e Rick Harris Ann Arbor, Michigan e Stamping Ground, Kentucky Junho de 2001

Fluxo Continuo Este manual focaliza a criacao do fluxo continuo nos processos puxadores, mas 0 conceito de fluxo continuo vai alern dos processos puxadores em si, estendendo-se a todas as etapas de qualquer processo produtivo. Da mesma forma, as ferramentas aqui descritas podem ser utilizadas em uma grande variedade de aplicacoes. Alista abaixo mostra posslveis aplicacoes:

Producao totalmente manual Aplicabilidadexxx Tipos de Processo

Celulas e linhas operadas por pessoas, com equipamento automatizado

Linhas de producao com esteiras x

Linhas "transfer" parcialmente automatizadas (com operadores em postos de trabalho)

Linhas "transfer" totalmente automatizadas (operadores como atendentes da linha)

Maquinario multifuncional com alto grau de automacao

Defini~ao de Celula

Uma celula e urn arranjo de pessoas, rnaquinas, materiais e metodos em que as etapas do processo estao pr6ximas e ocorrem em ordem sequencia], atraves da qual as partes SaD processadas em urn fluxo continuo (ou em alguns casos, de forma consistente, com lotes pequenos mantidos em toda a sequencia das etapas do processo). 0 layout fisico mais conhecido de uma celula e 0 formato em "U", mas muitas formas SaD possiveis. 0 processamento em fluxo continuo tambern e possfvel em linhas de producao retas. Muitas empresas utilizam os termos "celula" e "linha" de forma intercarnbiavel, assim como sera feito neste manual.

Envolvirnento da Equipe

Observe que voce vai precisar de um esforco de equipe para criar 0 fluxo continuo. Sistemas enxutos baseiam-se fortemente nos operadores, especial mente no que diz respeito aos esforcos de melhoria diaries, mas tarnbern depend em do envolvimento diario dos gerentes e engenheiros para projetar sistemas, resolver problemas e administrar os processos. Os esforcos da equipe no desenvolvimento do fluxo continuo envolverao diversas pessoas da empresa, incluindo:

Gerente do Fluxo de Valor (ver Aprendendo a Enxergar). Desenha e ajusta os mapas do estado futuro, que rnostra 0 processo puxador e onde e POSSIVelhaver fluxo continuo.

Gerente de Area. Lidera os esforcos de implernentacao do fluxo continuo e assegura diariamente sua continuidade e permanente aperfeicoamento.

Engenheiros Industriais e Engenheiros de Manufatura. Projetam os layouts iniciais e definem as pessoas envolvidas nas celulas de fluxo continuo com base em dados colhidos pessoalmente no chao de fabrica. Devem acompanhar de perto 0 processo de implernentacao e os ajustes. Engenheiros tarnbem projetam, especificam e constroem maquinas simples, pequenas e necessarias para apoiar 0 fluxo continuo.

(Parte 1 de 5)

Comentários