Fisiologia Cardiovascular (Atividade Elétrica Cardíaca)

Fisiologia Cardiovascular (Atividade Elétrica Cardíaca)

Atividade elétrica do coração dila.ramos.ufrj@gmail.com

Laboratório de Eletrofisiologia Cardíaca Antônio Paes de Carvalho

Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho – IBCCF Bloco G- sala G2-45

Professor responsável: José Hamilton Matheus Nascimento

Professora : Edila de Andrade Ramos

Nó atrioventricular

Nó sinoatrial átrio esquerdo átrio direito

ventrículo esquerdo ventrículo direito

Retardo do estímulo Sistema elétrico do coração

Propagação do sinal elétrico Propagação do sinal elétrico

Propagação do sinal elétrico Propagação do sinal elétrico

Dominante De escape

Marcapassos do coração

Sequência da ativação Velocidade de condução (m/s)

Frequência intríseca de disparo (impulsos/min)

3. Nó atrioventricular 0,02 – 0,05 40 - 60

5. Fibras de Purkinje 2,0 – 4,0 30 - 40 6. Miocárdio ventricular 0,3 – 1,0 - direção da propagação do impulso

Sequência da ativação do coração

•Delimita a célula

•É formada por uma bicamada lipídica

•Cabeças polares •Caudas apolares

•Permite a passagem de substâncias diretamente através dela.

Membrana celular

Todas as substâncias atravessam livremente a membrana plasmática?

Membrana celular

Membrana celular Membrana celular

Transporte através da membrana Transporte através da membrana

Transporte através da membrana Transporte através da membrana

Canal de potássio Canal de sódio

Canal de Na e Ca Principais canais iônicos no coração

Estrutura dos canais iônicos Estrutura dos canais iônicos

Estado dos canais iônicos Estado dos canais iônicos

Estado dos canais iônicos Estado dos canais iônicos

K+ 4,5 mM

Ca++ 2,5 mM

Ca++ 0,001 mM

Na+ 10 mM

Miócito Distribuição iônica no cardiomiócito

Concentração Voltagem A B

Difusão iônica através da membrana

Equação de Nernst Difusão iônica através da membrana

•Fluxo efetivo de corrente é zero Influxo = Efluxo

• -90 mV (cardiomiócitos)

Potencial de repouso

•É uma rápida variação do potencial de membrana, que vai de um valor negativo para um valor positivo, retornando em seguida ao seu potencial de repouso.

Potencial de ação

Tempo Hiperpolarização

Despolarização Vm mV

-100 Potencial de repouso -70

Hiperpolarização x Despolarização

Tempo

Vm mV

Potencial de repouso -70

-50 Potencial limiar Potencial de ação

Estímulo sub-limiar Estímulo limiar

Estímulo supra-limiar Estímulos limiares e sublimiares

Platô Difusão iônica através da membrana

Potencial de ação tipo rápido

Potencial de ação tipo lento

Tipos de potencial de ação

Fases Correntes

0 INa (corrente de entrada de Na+) 1 Ito1 (corrente transiente de saída de K+) 2 ICa,L (corrente de entrada de Ca2+)

3 IKr (corrente de saída de K+ c/ retificação tardia, rápido) IKs (corrente de saída de K+ c/ retificação tardia, lento)

4 IK1 (corrente de K+ com retificação de entrada)

Encontrado em: miócitos atriais e ventriculares, células do feixe de His e das fibras de Purkinje

Potencial de ação do tipo rápido

Fases Correntes

0 ICa,L (Corrente de entrada de Ca2+, tipo L) 3 IKr e IKs (Correntes de saída de K+, com retificação tardia)

4 If (Corrente ativada por hiperpolarização)

ICa,T (Corrente de entrada de Ca2+, tipo T) Desativação de IKr e Iks

• NSA e NAV

• Não possui potencial de repouso estável

• Não tem participação de canais de Na+ na gênese do potencial de ação

If

IKr e IKs

Potencial de ação do tipo lento canais íons características

Correntes de influxo

INa Na+ Ativação e inativação rápida; bloqueada por tetrodotoxina e fármacos antiarrítmicos da classe I

Ca2+ Maior limiar de ativação, inativação dependente de Ca2+, regulada pelo SNA, bloqueada por diidropiridinas

Ca2+ Menor limiar de ativação, não-regulada pelo SNA, bloqueada por Ni2+ (µM)

If Na+/K+ Corrente marcapasso, não inativa, bloqueada por Cs+, regulada pelo SNA

Correntes de efluxo

K+ Inativação rápida, insensível a Ca2+, bloqueada por 4- Aminopiridina

Cl- Inativação rápida, sensível a Ca2+

IKr K+ Ativação lenta, inibida por fármacos antiarrítmicos, mutações causam arritmias (síndrome do QT longo)

IKs K+ Ativação lenta, não inativa, regulada pelo SNA, mutações causam arritmias (síndrome do QT longo)

IK1 K+ Estabiliza o potencial de repouso, exibe retificação de entrada, bloqueada por Ba2+

• Período refratário absoluto (PRA) • Período refratário relativo (PRR)

• Período refratário efetivo (PRE) tempo mínimo

Cinética dos canais iônicos

Distribuição do potencial de ação no coração

Velocidade de propagação do potencial de ação

Sistema Nervoso Autônomo x Potencial de ação

Ativação Simpática (Noradrenalina, adrenalina) Modulação simpática da frequência de disparo do NSA

Sistema Nervoso Autônomo (SNA) x Potencial de ação

Ativação parassimpática (acetilcolina)

Modulação parassinpática da frequência do disparo do NSA

Eletrocardiograma Eletrocardiograma

Comentários