Programação Neurolinguistica

Programação Neurolinguistica

(Parte 1 de 7)

Apoio Cultural Realização

Antonio Carlos de Andrade - Tunico

Ant€nio Bungue Caputo "Tinido"

2 INTRODUÇÃO

O que é PNL - Programação Neurolinguística?

"Programação Neurolinguística" é uma expressão um tanto obscura que na verdade compreende três idéias simples.

A parte "Neuro" da PNL reconhece a idéia fundamental de que todos os comportamentos nascem dos processos neurológicos da visão, audição, olfato, paladar, tato e sensação. Percebemos o mundo através dos cinco sentidos. "Compreendemos" a informação e depois agimos. Nossa neurologia inclui não apenas os processos mentais invisíveis, mas também as reações fisiológicas a idéias e acontecimentos. Uns refletem os outros no nível físico. Corpo e mente formam uma unidade inseparável, um ser humano.

A parte "Lingüística" do título indica que usamos a linguagem para ordenar nossos

pensamentos e comportamentos e nos comunicarmos com os outros.

A "Programação" refere-se à maneira como organizamos nossas idéias e ações à

fim de produzir resultados. A PNL trata da estrutura da experiência humana subjetiva, de como organizamos o que vemos através dos nossos sentidos. Também examina a forma como descrevemos isso através da linguagem e como agimos, intencionalmente ou não, para produzir resultados.

Esta pergunta é simples e ao mesmo tempo complexa, pois cada um de nós pode

Afinal, o que é PROGRAMAÇÃO NEUROLINGÜÍSTICA? possuir uma idéia ou um conceito diferente e a maioria deles pode ser útil em algum contexto.

Agora, ter uma noção clara, precisa e palpável serve para desmistificar a PNL ao

mesmo tempo que serve para eliminarmos resistências por parte de pessoas que têm preconceitos negativos sobre ela.

Penso que torná-la mais confiável, mais agradável e mais atraente para as pessoas

é algo que todos que sabem do seu potencial querem conseguir (você não quer ?).

Outro ganho importante em saber o que é PNL é o seu próprio aumento de entusiasmo e vontade de aprender algo que está bem definido em sua mente.

Neste caso Richard Bandler pode ajudá-lo. Segundo Bandler PNL é:

Este conceito é baseado na pressuposição de que todo comportamento tem uma estrutura e que esta pode ser descoberta, modelada e mudada (reprogramada).

Bem, esta definição, enquanto precisa e técnica, pode ser um pouco complexa para

algumas pessoas, portanto eis outra mais simplificada:

Assim gostaria de enfatizar que uma das conseqüências da própria definição é que:

"A PNL é uma ferramenta educacional, não uma forma de terapia. Nós ensinamos as pessoas coisas sobre como seus cérebros funcionam e elas usam estas informações para mudar." Richard Bandler.

Finalmente o que espero e desejo aos praticantes de PNL é que eles, em

conhecendo a definição, cada vez mais saibam como o nosso sistema neurológico (NEURO) representa a realidade, como perceber e usar isto através da linguagem (LINGÜÍSTICA) e da comunicação não verbal e como ajudar as pessoas a organizar esta informação para atingir metas específicas (PROGRAMAÇÃO). Pensem a respeito disto.

Os Pressupostos básicos da PNL O mapa não é o território.

Nossos mapas mentais do mundo não são o mundo. Reagimos aos nossos mapas em vez de reagir diretamente ao mundo. Mapas mentais, especialmente sensações e interpretações, podem ser atualizados com mais facilidade do que se pode mudar o mundo.

As experiências possuem uma estrutura.

Nossos pensamentos e recordações possuem um padrão. Quando mudamos este padrão ou estrutura, nossa experiência muda automaticamente. Podemos neutralizar lembranças desagradáveis e enriquecer outras que nos serão úteis.

Se uma pessoa pode fazer algo, todos podem aprender a fazê-lo também.

Podemos aprender como é o mapa mental de um grande realizador e fazê-lo nosso. Muita gente pensa que certas coisas são impossíveis, sem nunca ter se disposto a fazê-las. Faça de conta que tudo é possível. Se existir um limite físico ou ambiental, o mundo da experiência vai lhe mostrar isso.

Corpo e mente são partes do mesmo sistema.

Nossos pensamentos afetam instantaneamente nossa tensão muscular, respiração e sensações. Estes, por sua vez, afetam nossos pensamentos. Quando aprendemos a mudar um deles, aprendemos a mudar o outro.

As pessoas já possuem todos os recursos de que necessitam.

Imagens mentais, vozes interiores, sensações e sentimentos são os blocos básicos de construção de todos os nossos recursos mentais e físicos. Podemos usá-los para construir qualquer pensamento, sentimento ou habilidade que desejarmos, colocando-os depois nas nossas vidas onde quisermos ou mais precisarmos.

É impossível NÃO se comunicar.

Estamos sempre nos comunicando, pelo menos não- verbalmente, e as palavras são quase sempre a parte menos importante. Um suspiro, sorriso ou olhar são formas de comunicação. Até nossos pensamentos são formas de nos comunicarmos conosco, e eles se revelam aos outros pelos nossos olhos, tons de voz, atitudes e movimentos corporais.

O significado da sua comunicação é a reação que você obtém.

Os outros recebem o que dizemos e fazemos através dos seus mapas mentais do mundo. Quando alguém ouve algo diferente do que tivemos a intenção de dizer, esta é a nossa chance de observarmos que comunicação é o que se recebe. Observar como a nossa comunicação é recebida nos permite ajustá-la, para que da próxima vez ela possa ser mais clara.

Todo comportamento tem uma intenção positiva.

Todos os comportamentos nocivos, prejudiciais ou mesmo impensados tiveram um propósito positivo originalmente. Gritar para ser reconhecido. Agredir para se defender. Esconder-se para se sentir mais seguro. Em vez de tolerar ou condenar essas ações, podemos separá-las da intenção positiva daquela pessoa para que seja possível acrescentar novas opções mais atualizadas e positivas a fim de satisfazer a mesma intenção.

As pessoas sempre fazem a melhor escolha disponível para elas.

Cada um de nós tem a sua própria e única história. Através dela aprendemos o que querer e como querer, o que valorizar, e como valorizar, o que aprender e como aprender. Esta é a nossa experiência. A partir dela, devemos fazer todas as nossas opções, isto é, até que outras novas e melhores sejam acrescentadas.

Se o que você está fazendo não está funcionando, faça outra coisa.

Faça qualquer coisa. Se você sempre faz o que sempre fez, você sempre conseguirá o que sempre conseguiu. Se você quer algo novo, faça algo novo, especialmente quando existem tantas alternativas.

A análise do sucesso na vida de algumas pessoas, nos leva a conclusões incríveis; começa por encontrarmos na sua grande maioria pessoas que não tem uma formação acadêmica, ou seja, uma quantidade esmagadora de pessoas que tem sucesso na vida e nem sequer freqüentaram uma universidade.

Este fato serve tão somente para que saibamos que o estudo e o sucesso nem sempre se encontram intrinsecamente ligados, e que o fato de não termos uma formação acadêmica é irrelevante e a mesma não garante a ninguém lograr êxito na caminhada da vida, mas com o estudo, adquirimos cultura.

Poderíamos gastar algumas páginas citando personalidades internacionais como Henry Ford, Thomas Edson e outros que jamais freqüentaram um banco universitário, e possuíam apenas a alfabetização básica, e mesmo assim detiveram o poder e a fortuna durante suas existências; mas também aqui no Brasil, encontraremos exemplos fantásticos da perspicácia de pessoas simples e sem estudo, que escreveram a nossa historia de forma brilhante ex: Vicente Matheus, Silvio Santos e com certeza algum anônimo que você conhece e admira pela facilidade com que transforma em ouro, num toque de Midas, tudo aquilo em que põe as mãos.

Analisando os fatos expostos e não podendo contestá-los fazemo-nos então alguns questionamentos para os quais este curso buscou respostas :

As respostas a essas perguntas e muitas outras que surgirão, você vai encontrar de forma compreensível nos capítulos a seguir, faça deste momento o seu momento de mudança, pois a proposta deste curso não se baseia em técnicas de auto-ajuda teóricas e generalizadas muito comuns de se encontrar, e muito difíceis de se aplicar.

Este curso é o resultado de mais de vinte anos de pesquisa da realidade brasileira no relacionamento humano, toda teoria aqui ensinada, foi aplicada inúmeras vezes e a sua eficiência pode ser sentida logo nas primeiras lições.

A vida do jovem casal, ainda no início da convivência matrimonial, parecia ir bem, não fosse pelo fato do marido ser viciado em comer ovo frito, arroz e feijão todo santo dia.

A jovem esposa se esforçava e se esmerava na preparação do almoço, mas por mais que caprichasse sempre ouvia:

Ela buscava novas receitas, conversava com as vizinhas mais experientes, trocava a marca do arroz e comprava vários tipos de óleo para fritar os ovos, tudo em vão, pois ouvia sempre a mesma ladainha:

Já desanimada e sem vislumbrar uma solução para seus dotes culinários, resolveu ir até a casa da sogra, e pedir-lhe ajuda.

A sogra morava longe, e não tinha telefone, mas a jovem disposta a não mais ouvir as lamentações do marido deixou um bilhete sobre o fogão e saiu em busca da solução dos seus problemas.

Parecia porém que aquele não era seu dia, a sogra não estava em casa e ela perdeu a viagem, bem como a hora de preparar o almoço; voltou, e as pressas nervosa e já chorando, começou a cozinhar: o arroz ficou uma “papa”, o feijão “duro” e o ovo “queimou”. (tragédia total)

Trancou-se no quarto e não quis encarar o marido que entrara e já se servira, pois tinha pressa em retornar ao trabalho. Ele a chamou, mas ela com medo não respondeu, dando a impressão de que havia saído. Ele encontrou um bilhete dizendo:

O marido almoçou e se foi. Ela envergonhada saiu do quarto, e qual não foi a sua surpresa quando, ao chegar na cozinha, encontrou uma flor colhida as pressas do jardim da casa, e um bilhete do marido dizendo:

Veja como é difícil agradar alguém quando não percebemos o que esse alguém espera de nós . Por outro lado, as vezes é mais simples do que esperamos.

Ser um vencedor do segundo milênio, significa muito mais do que prover de produtos e serviços um mercado competitivo. Significa, antes de tudo, entender de gente!

(Descobrir exatamente o que as pessoas querem e dar a elas mais do que elas esperam de você.)

Não importa a o produto ou serviço que você pretende vender, se você entender de gente e souber fazer isso com maestria, você não será um vendedor, mas sim um especialista , uma máquina de fazer sucesso!

Os bons profissionais chamados de “MOSCA BRANCA”, pois são poucos, são disputados a preço de ouro e para eles não existe o fantasma do desemprego ou das crises.

Eles entendem de gente e sabem como funciona a cabeça das pessoas e fundamentalmente sabem como conduzi-las a desejarem seus produtos ou serviços mais do que os da concorrência.

Estabelecem laços profundos de relacionamento que os transformam em profissionais requisitados e desejados por qualquer empresa.

Vamos começar a abrir as cortinas deste palco maravilhoso que é o cérebro humano e já de pronto aprendermos que a comunicação entre as pessoas se dá através dos nossos sentidos: VISÃO, AUDIÇÃO, GUSTAÇÃO, TATO E OLFATO.

Nada pode chegar ao nosso cérebro sem antes passar por um destes sentidos, chamaremos a gustação, tato e olfato de cinestésicos e veremos a seguir como funcionam.

Perceberemos que o processo tem início com um evento externo que nós

experimentamos através de nossos sentidos ou canais sensoriais de entrada que são:

• CANAL VISUAL: incluindo o que vemos, ou o modo como somos olhados.

• CANAL CINESTÉSICO: ou sensações externas, que incluem, toque, textura, temperatura, cheiro, sabor, etc.

• CANAL AUDITIVO: inclui sons, palavras que ouvimos, tom e timbre dessas palavras.

De acordo com a P.N.L. cada um de nós nos comunicamos através de um desses três canais: ou somos mais visuais, ou mais auditivos ou mais cinestésicos.

Nossas respostas para o mundo atuam por esse três canais.

8 PROGRAMAÇÃO DE NEUROLINGUAGEM

Se atuamos através do canal visual por exemplo, tudo que nos chama a atenção, que nos marca, é a cor , o modelo, a estrutura, a ordem, a limpeza, o brilho, etc..., Enfim fazemos imagem de tudo o que nos é dito. Exemplo: ao nos recordarmos de algo que nos aconteceu no passado, a imagem nos vem com todos os detalhes , uma paisagem por exemplo, ou uma roupa nos aparece na mente com toda a sua cor.

em sua mente a imagem dele, já dirigindo o carro

• Se observarmos o sistema de comunicação que nós os humanos usamos então, se você estiver vendendo um carro, e o seu cliente for mais visual, não adianta tentar convencê-lo que o carro é macio, ele vai se interessar pela cor, pelo modelo, os detalhes que fazem o carro mais bonito, e é lógico que imediatamente vai aparecer

• Se atuamos através do canal auditivo o que nos chamará a atenção será uma música, uma palavra, um som, um barulho, etc. Aqui a imagem ficará gravada em nosso subconsciente e nós nos lembraremos dela assim que o mesmo som for emitido. Exemplo: ao nos lembrarmos de uma festa, todas as imagens gravadas estarão ligadas a alguma música tocando no fundo.

• Seguindo o mesmo exemplo da venda do automóvel, se neste caso o seu cliente for mais auditivo, assim que você mostrar o carro à ele, o que chamará sua atenção será o barulho que o carro faz, então de imediato ele precisará da chave para fazer o carro funcionar e ouvir o seu “ronco”.

• Se atuamos através do canal cinestésico o que nos chamará a atenção será um abraço, um toque, o sentimento. Exemplo: Algo que ficou em nossa memória, nós nos recordaremos dando ênfase a todos os sentimentos bons ou ruins relacionados aquele fato. Se o seu cliente for mais cinestésico, ele nem notará muito a beleza do carro que está a sua frente, mas passará a mão nos bancos, apertará o volante para sentir se é macio, sentará imediatamente para sentir se é confortável.

No final da apostila, tem um teste; Preencha-o e envie para mim com seu nome e endereço, eu te respondo por e-mail ok?

Depois que a informação, ou evento externo são captados pelos nossos canais sensoriais, fazemos uma “filtragem” ou “triagem” dessas informações antes de formarmos uma R.I. (Representação Interna), a R.I. determina nosso comportamento exterior ou resposta aos estímulos.

Nossos filtros internos de processamentos, determinam como nós omitimos, distorcemos ou generalizamos as informações recebidas de forma visual, auditiva ou cinestésica.

É quando seletivamente prestamos atenção a certos aspectos de nossas experiências e omitimos outros, ou simplesmente os anulamos, pois não poderíamos tratar de forma consciente um excesso de informações.

É quando fazemos mudanças nos dados recebidos pelos nossos sentidos, através de uma representação distorcida da realidade e aceita como verdadeira pelo nosso consciente .

É também um filtro usado no processo de auto motivação..

É o processo de globalizarmos as conclusões baseadas em uma, duas ou mais experiências vividas anteriormente, pode ser positiva quando generalizamos para aprender, usando as informações disponíveis e traçando conclusões sobre o mundo, ou negativa quando pegamos um único evento e levamos como experiência pela vida afora.

- “Quando duas pessoas recebem o mesmo estímulo, porque elas não têm sempre a mesma resposta?” -

Para entendermos temos que saber que nós omitimos, distorcemos e generalizamos as informações usando um processo interno de triagens formado por Meta-programas, - Valores, Crenças, Decisões e Memória.

Não são bons, nem maus, simplesmente é a maneira pela qual processamos a informação preservando ou fragmentando as generalizações que fazemos ao longo do tempo. Através dos meta-programas é que mantemos nossa personalidade.

São aquelas idéias nas quais estamos dispostos a investir tempo, recurso ou energia, tanto para obtê-las , como para evitá-las. A forma peculiar de vermos e sentirmos o mundo formando certos valores dos quais não abrimos mão e pelos quais podemos conflitar com outros que tem valores diferentes ou antagônicos.

(Parte 1 de 7)

Comentários