Resolução De Exerc... gualter- Completa - parte i – termologia tópico 2

Resolução De Exerc... gualter- Completa - parte i – termologia tópico 2

(Parte 1 de 4)

14PARTE I – TERMOLOGIA

Tópico 2

1 Analise as proposições e indique a falsa. a) O somatório de toda a energia de agitação das partículas de um corpo é a energia térmica desse corpo. b) Dois corpos atingem o equilíbrio térmico quando suas temperaturas se tornam iguais. c) A energia térmica de um corpo é função da sua temperatura. d) Somente podemos chamar de calor a energia térmica em trânsito; assim, não podemos afirmar que um corpo contém calor. e) A quantidade de calor que um corpo contém depende de sua temperatura e do número de partículas nele existentes.

Resolução: Calor é energia térmica em trânsito. Um corpo sempre tem energia térmica, mas possui calor somente quando essa energia está em trânsito. Assim, um corpo tem energia térmica, mas não tem calor.

Resposta: e

2 Imagine dois corpos A e B com temperaturas T e T , sendo

T > T . Quando colocamos esses corpos em contato térmico, podemos afirmar que ocorre o seguinte fato: a) Os corpos se repelem. b) O calor fl ui do corpo A para o corpo B por tempo indeterminado. c) O calor fl ui do corpo B para o corpo A por tempo indeterminado. d) O calor fl ui de A para B até que ambos atinjam a mesma temperatura. e) Não acontece nada.

Resolução: A energia térmica fl ui espontaneamente do corpo de maior temperatura para o de menor temperatura até que esses corpos atinjam o equilíbrio térmico, isto é, até que as temperaturas atinjam o mesmo valor.

Resposta: d

3 No café-da-manhã, uma colher metálica é colocada no interior de uma caneca que contém leite bem quente. A respeito desse acontecimento, são feitas três afirmativas. I. Após atingirem o equilíbrio térmico, a colher e o leite estão a uma mesma temperatura.

I. Após o equilíbrio térmico, a colher e o leite passam a conter quantidades iguais de energia térmica.

I. Após o equilíbrio térmico, cessa o fl uxo de calor que existia do leite (mais quente) para a colher (mais fria).

Podemos afirmar que: a) somente a afirmativa I é correta; b) somente a afirmativa I é correta; c) somente a afirmativa I é correta; d) as afirmativas I e I são corretas; e) as afirmativas I e II são corretas.

Resolução: I) Correta.

No equilíbrio térmico, as temperaturas dos corpos são iguais.

I) Incorreta.

A quantidade de energia térmica de um corpo depende de sua temperatura e do número de partículas que possui. Assim, mesmo as temperaturas do leite e da colher sendo iguais, seu número de partículas pode não ser o mesmo.

I) Correta.

O que fazia o calor fl uir de um corpo para outro era a diferença de temperaturas existente entre eles.

Resposta: d

4 Analise as proposições e indique a verdadeira. a) Calor e energia térmica são a mesma coisa, podendo sempre ser usados tanto um termo como o outro, indiferentemente. b) Dois corpos estão em equilíbrio térmico quando possuem quantidades iguais de energia térmica. c) O calor sempre fl ui da região de menor temperatura para a de maior temperatura. d) Calor é energia térmica em trânsito, fl uindo espontaneamente da região de maior temperatura para a de menor temperatura. e) Um corpo somente possui temperatura maior que a de um outro quando sua quantidade de energia térmica também é maior que a do outro.

Resolução: Calor é a denominação que damos à energia térmica enquanto ela está transitando entre dois locais de temperaturas diferentes. O sentido espontâneo é do local de maior temperatura para o local de menor temperatura.

Resposta: d

5 (Unirio-RJ) Indique a proposição correta. a) Todo calor é medido pela temperatura, isto é, calor e temperatura são a mesma grandeza. b) Calor é uma forma de energia em trânsito e temperatura mede o grau de agitação das moléculas de um sistema. c) O calor nunca é função da temperatura. d) O calor só é função da temperatura quando o sistema sofre mudança em seu estado físico. e) A temperatura é a grandeza cuja unidade fornece a quantidade de calor de um sistema.

Resolução: Calor é energia térmica em trânsito e temperatura determina o grau de agitação das partículas de um sistema.

Resposta: b

6 (Enem) A sensação de frio que nós sentimos resulta: a) do fato de nosso corpo precisar receber calor do meio exterior para não sentirmos frio. b) da perda de calor do nosso corpo para a atmosfera que está a uma temperatura maior. c) da perda de calor do nosso corpo para a atmosfera que está a uma temperatura menor. d) do fato de a friagem que vem da atmosfera afetar o nosso corpo. e) da transferência de calor da atmosfera para o nosso corpo.

Resolução: Quanto mais rápido perdemos energia térmica, maior é a nossa sensação de frio. Essa rapidez é função da diferença de temperatura entre o nosso corpo e a atmosfera do meio onde nos encontramos.

Resposta: c

15Tópico 2 – O calor e sua propagação

7 Você sabe que o aprendizado da Física também se faz por meio da observação das situações que ocorrem no nosso dia-a-dia. Faça um experimento. Caminhe descalço sobre um carpete ou um tapete e sobre um piso cerâmico, como o do banheiro da sua casa, por exemplo. Você vai notar que o piso cerâmico parece mais frio do que o tapete, apesar de estarem à mesma temperatura. Essa diferença de sensação se deve ao fato de: a) a capacidade térmica do piso cerâmico ser menor que a do tapete; b) a temperatura do piso cerâmico ser menor que a do tapete; c) a temperatura do tapete ser menor que a do piso cerâmico; d) a condutividade térmica do piso cerâmico ser maior que a do tapete; e) a condutividade térmica do piso cerâmico ser menor que a do tapete.

Resolução: A sensação de frio é devida à perda de energia térmica através da pele da planta do nosso pé. O tapete é um mau condutor de calor e o piso cerâmico é condutor. Assim, a energia térmica fl ui mais rapidamente da nossa pele quando estamos em contato com o piso cerâmico.

Resposta: d

8 Numa noite muito fria, você ficou na sala assistindo à televisão.

Após algum tempo, foi para a cama e deitou-se debaixo das cobertas (lençol, cobertor e edredom). Você nota que a cama está muito fria, apesar das cobertas, e só depois de algum tempo o local se torna aquecido.

Isso ocorre porque: a) o cobertor e o edredom impedem a entrada do frio que se encontra no meio externo; b) o cobertor e o edredom possuem alta condutividade térmica; c) o cobertor e o edredom possuem calor entre suas fibras, que, ao ser liberado, aquece a cama; d) o cobertor e o edredom não são aquecedores, são isolantes térmicos, que não deixam o calor liberado por seu corpo sair para o meio externo; e) sendo o corpo humano um bom absorvedor de frio, após algum tempo não há mais frio debaixo das cobertas.

Resolução: O cobertor e o edredom não são aquecedores, são isolantes térmicos que não deixam o calor liberado por nosso corpo sair para o meio externo, deixando-nos aquecidos.

Resposta: d

9 (Ufes) Para resfriar um líquido, é comum colocar a vasilha que o contém dentro de um recipiente com gelo, conforme a figura. Para que o resfriamento seja mais rápido, é conveniente que a vasilha seja metálica, em vez de ser de vidro, porque o metal apresenta, em relação ao vidro, um maior valor de: a) condutividade térmica. b) calor específico. c) coeficiente de dilatação térmica. d) energia interna. e) calor latente de fusão.

Resolução: O metal tem maior coeficiente de condutividade térmica do que o vidro. O metal é bom condutor de calor e vidro é péssimo.

Resposta: a

10 Uma garrafa e uma lata de refrigerante permanecem durante vários dias em uma geladeira. Quando pegamos a garrafa e a lata com as mãos desprotegidas para retirá-las da geladeira, temos a impressão de que a lata está mais fria do que a garrafa. Isso é explicado pelo fato de: a) a temperatura do refrigerante na lata ser diferente da temperatura do refrigerante na garrafa; b) a capacidade térmica do refrigerante na lata ser diferente da capacidade térmica do refrigerante na garrafa; c) o calor específico dos dois recipientes ser diferente; d) o coeficiente de dilatação térmica dos dois recipientes ser diferente; e) a condutividade térmica dos dois recipientes ser diferente.

Resolução: O metal da lata tem condutividade térmica maior do que o vidro da garrafa. Assim, ao tocarmos ambos, perderemos calor mais rapidamente para a lata. Por isso ela parecerá mais fria do que a garrafa.

Resposta: e

1 (UFSC) Identifique a(s) proposição(ões) verdadeira(s): (01) Um balde de isopor mantém o refrigerante gelado porque impede a saída do frio. (02) A temperatura de uma escova de dentes é maior que a temperatura da água da pia; mergulhando-se a escova na água, ocorrerá uma transferência de calor da escova para a água. (04) Se tivermos a sensação de frio ao tocar um objeto com a mão, isso significa que esse objeto está a uma temperatura inferior à nossa. (08) Um copo de refrigerante gelado, pousado sobre uma mesa, num típico dia de verão, recebe calor do meio ambiente até ser atingido o equilíbrio térmico. (16) O agasalho, que usamos em dias frios para nos mantermos aquecidos, é um bom condutor de calor. (32) Os esquimós, para se proteger do frio intenso, constroem abrigos de gelo porque o gelo é um isolante térmico.

Dê como resposta a soma dos números associados às proposições corretas.

Resolução: (01) Falsa – O isopor impede que o calor proveniente do meio ambiente atinja o refrigerante. (02) Verdadeira – A transferência espontânea de calor se processa do corpo de maior temperatura para o de menor temperatura. (04) Verdadeira – A sensação de frio é determinada pela perda de energia térmica do nosso corpo para o objeto ou meio com o qual entra em contato.

Líquido Gelo

16PARTE I – TERMOLOGIA

(08) Verdadeira – A energia térmica do ambiente será recebida pelo refrigerante gelado, aquecendo-o até o equilíbrio térmico. (16) Falsa – Os agasalhos são confeccionados com materiais que são péssimos condutores de calor; eles são, na verdade, bons isolantes térmicos. (32) Verdadeira – O gelo é um bom isolante térmico, pois possui baixa condutividade térmica.

Resposta: 46

12E.R. Uma barra de alumínio de 50 cm de comprimento e área de seção transversal de 5 cm tem uma de suas extremidades em contato térmico com uma câmara de vapor de água em ebulição (100 °C). A outra extremidade está imersa em uma cuba que contém uma mistura bifásica de gelo fundente (0 °C):

Lã de vidro

A pressão atmosférica local é normal. Sabendo que o coeficiente de condutibilidade térmica do alumínio vale 0,5 cal/s cm °C, calcule: a) a intensidade da corrente térmica através da barra, depois de estabelecido o regime permanente; b) a temperatura numa seção transversal da barra, situada a 40 cm da extremidade mais quente.

Resolução: a) No regime permanente, a corrente térmica é calculada pela Lei de Fourier:

φ = k AΔθ

Do enunciado, temos que: k = 0,5 cal/s cm °C A = 5 cm Δθ = 100 °C – 0 °C = 100 °C = 50 cm Substituindo esses valores na expressão anterior, vem:

φ = 0,5 · 5 · 10050 ⇒φ = 5 cal/s b) Sabemos que, no regime permanente ou estacionário, a intensidade da corrente térmica através da barra é constante; assim, temos:

θ = ? 0 °C100 ºC

10 cm40 cm

13 (Unama-AM) A figura a seguir apresenta uma barra de chumbo de comprimento 40 cm e área de seção transversal 10 cm isolada com cortiça; um termômetro fixo na barra calibrado na escala Fahrenheit, e dois dispositivos A e B que proporcionam, nas extremidades da barra, as temperaturas correspondentes aos pontos do vapor e do gelo, sob pressão normal, respectivamente. Consideran- do a intensidade da corrente térmica constante ao longo da barra, determine a temperatura registrada no termômetro, sabendo que ele se encontra a 32 cm do dispositivo A. Dado: coeficiente de con- dutibilidade térmica do chumbo = 8,2 · 10 · cal cm cm °C s

Cortiça B A

Resolução: O fl uxo de calor através da barra é constante, assim os fl uxos através das partes anterior e posterior ao termômetro são iguais:

k A Δθ k A Δθ

4(θ – 32) = (212 – θ) ⇒ 4θ – 128 = 212 – θ ⇒ 5θ = 340 ⇒ θ = 68 °F Resposta: 68 °F

14 (Mack-SP) Para determinarmos o fl uxo de calor por condução através de uma placa homogênea e de espessura constante, em re- gime estacionário, utilizamos a Lei de Fourier φ = k e .

A constante de proporcionalidade que aparece nessa lei matemática depende da natureza do material e se denomina Coeficiente de Condutibilidade Térmica. Trabalhando com as unidades do SI, temos, para o alumínio, por exemplo, um coeficiente de condutibilidade térmica igual a 2,09 · 10. Se desejarmos expressar essa constante, referente ao alumínio, com sua respectiva unidade de medida, teremos: a) 2,09 · 10 cal/s b) 2,09 · 10 cal/s cm °C c) 2,09 · 10 J/s d) 2,09 · 10 J/s m K e) 2,09 · 10 J/K

Resolução: No SI, a unidade de fl uxo de calor é dado por:

[Δt] = J s

Assim, na lei de Fourier, temos:

Js = [k] m K (ou °C) m

Portanto:

[k] = J m s K

Resposta: d

15 Na figura a seguir, você observa uma placa de alumínio que foi utilizada para separar o interior de um forno, cuja temperatura mantinha-se estável a 220 °C, e o meio ambiente (20 °C). Após atingido o regime estacionário, qual a intensidade da corrente térmica através dessa chapa metálica?

17Tópico 2 – O calor e sua propagação

Suponha que o fl uxo ocorra através da face de área maior. Dado: coeficiente de condutibilidade térmica do alumínio = 0,50 cal/s cm °C

1,5 m

2,0 m 0,50 m

Resolução: Usando-se a Lei de Fourier, temos:

φ = K A Δθ Assim:

φ = 0,50 · (150 · 200) · (220 – 20) 50 φ = 6,0 · 10 cal/s

Resposta: 6,0 · 10 cal/s

16E.R. Três barras cilíndricas idênticas em comprimento e secção são ligadas formando uma única barra, cujas extremidades são mantidas a 0 °C e 100 °C. A partir da extremidade mais fria, as condutibilidades térmicas dos materiais das barras valem:

(0,20), (0,50) e (1,0) kcal m h m °C

Supondo que em volta das barras exista um isolamento de vidro e desprezando quaisquer perdas de calor, calcule a temperatura nas junções onde uma barra é ligada à outra.

Resolução:

CB A 0 °C100 °C k = 0,20 kcal m h m °C k = 0,50 kcal m h m °C k = 1,0 kcal m h m °C

No regime permanente, o fl uxo de calor através das barras será o mesmo e permanecerá constante; portanto, podemos escrever:

φ = k

A (θ – 0)

= k

= k

Logo:

k (θ – 0) = k (θ – θ) = k (100 – θ )

Desmembrando, temos:

k (θ – 0) = k (100 – θ )

Substituindo os valores conhecidos, temos:

0,20θ = 1,0(100 – θ ) (I)

0,20θ = 0,50(θ – θ ) (I)

De (I), temos:

0,20θ = 0,50θ – 0,50θ

0,70θ = 0,50θ ⇒ θ θ = 1,4θ (I)

Substituindo (I) em (I), temos:

0,20θ = 100 – 1,4θ ⇒ 1,6θ = 100 θ = 62,5 °C

Voltando em (I), resulta:

θ = 1,4(62,5) ⇒θ

= 87,5 °C

17 Uma barra de alumínio de 50 cm de comprimento e área de secção transversal 5 cm tem uma de suas extremidades em contato térmico com uma câmara de vapor de água em ebulição. A outra extremidade da barra está imersa em uma cuba que contém uma mistura bifásica de gelo e água em equilíbrio térmico. A pressão atmosférica é normal. Sabe-se que o coeficiente de condutibilidade térmica do alumínio vale 0,5 cal cm/s cm °C.

Vapor

Vapor

Lã de vidroGelo e água

Qual a temperatura da secção transversal da barra, situada a 40 cm da extremidade mais fria?

Resolução: No regime estacionário, temos:

k A Δθ k A Δθ

10 = (θ – 0) 40 θ = 4(100 – θ) ⇒ θ = 400 – 4θ ⇒ 5θ = 400 ⇒ θ = 80 °C

Resposta: 80 °C

18 Uma barra metálica é aquecida conforme a figura; A, B e C são termômetros. Admita a condução de calor em regime estacionário e no sentido longitudinal da barra. Quando os termômetros das extremidades indicarem 200 °C e 80°C, o intermediário indicará:

(Parte 1 de 4)

Comentários