Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede 2010

Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede 2010

(Parte 1 de 7)

Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede

Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva

Ministro da Integração Nacional João Reis Santana Filho

Presidente da Codevasf Orlando Cezar da Costa Castro

Diretor da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura Clementino de Souza Coelho

Diretor da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação Raimundo Deusdará Filho

Diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas Ricardo Luiz Ferreira dos Santos

Gerente de Desenvolvimento Territorial Kênia Régia Anasenko Marcelino

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do

Parnaíba Ministério da Integração Nacional

Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede

Coordenação de Paulo Sandoval Jr.

Elaboração de texto de Thiago Dias Trombeta e Bruno Olivetti de Mattos

Revisão técnica de Willibaldo Brás Sallum

Brasília-DF 2010

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba - CODEVASF SGAN 601 - Conj. I - Ed. Deputado Manoel Novaes CEP 70830-901 Brasília-DF Fone/Fax: (61) 3312-4860 w.codevasf.gov.br divulgacao@codevasf.gov.br

É permitida a reprodução de dados e de informações contidas nesta publicação, desde que citada a fonte.

Elaboração: Instituto Ambiental Brasil Sustentável - IABS Revisor técnico: Willibaldo Brás Sallum - Codevasf Projeto gráfico: Frederico Augusto Gall - IABS Capa: Luciana Guedes Cotrim - Codevasf Foto da capa: Willibaldo Brás Sallum - Codevasf Ilustrações: Alexandre Mulato - IABS Normalização bibliográfica: Biblioteca Geraldo Rocha - Codevasf

1ªedição 1ª impressão (2009): 2.0 exemplares 2ª impressão (2009): 2.0 exemplares Edição revista (2010): 6.0 exemplares

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Manual de criação de peixes em tanques-rede / coordenação de Paulo Sandoval Jr.; elaboração de texto de Thiago Dias Trombeta e Bruno Olivetti de Mattos; revisão técnica de Willibaldo Brás Sallum Brasília: Codevasf, 2010. 69 p. : il.

ISBN 978-85-89503-08-2

1. Piscicultura. 2. Peixe - criação. 3. Tanque-rede. 4. Legislação - aquicultura - águas da União. I. Sandoval Jr., Paulo. I. Trombeta, Thiago Dias. I. Mattos, Bruno Olivetti de. IV. Sallum, Willibaldo Brás. V. Codevasf

CDU 639.3 (035)

Colaboradores Técnicos

Alexandre Delgado Bonifácio Engenheiro de Pesca - Codevasf

Álvaro de Assis A. de Albuquerque Engenheiro de Pesca – Codevasf

Ana Helena Gomes da Silva Engenheira de Pesca - Codevasf

Charles Fabian Alves dos Santos Engenheiro de Pesca- Codevasf

Eduardo Jorge de Oliveira Motta Engenheiro de Pesca – Codevasf

Flávio Henrique Mizael Engenheiro de Pesca – Codevasf

Flávio Simas de Andrade Engenheiro Florestal – Ministério da Pesca e Aquicultura

Kênia Régia Anasenko Marcelino Zootecnista - Codevasf

Leonardo Sampaio Santos Biólogo - Codevasf

Luciano Gomes da Rocha Engenheiro de Pesca - Codevasf

Luz Weber Baladão Engenheira de Aquicultura – Ministério da Pesca e Aquicultura

Maurício Lopes de Grós Engenheiro de Pesca - Codevasf

Ruy Cardoso Filho Engenheiro de Pesca - Codevasf

Thompson França Ribeiro Neto Biólogo - Codevasf

Willibaldo Brás Sallum Zootecnista - Codevasf

1.0 - INTRODuçãO09
2.0 - POR quE CRIAR PEIxES EM TANquES-REDE10

Sumário

PEIxES EM TANquES-REDE12

3.0 - CONDIçõES PROPíCIAS à IMPLANTAçãO DO SISTEMA DE CRIAçãO DE

TANquES-REDE21
5.0 - DETALHAMENTO DAS ESTRuTuRAS28

4.0 - CARACTERIzAçãO GERAL DO SISTEMA DE CRIAçãO DE PEIxES EM

BRASIL36
7.0 - MANEJO DO SISTEMA42
8.0 - ENFERMIDADES45
9.0 - O DIA-A-DIA DA CRIAçãO49

6.0 - PRINCIPAIS ESPéCIES DE PEIxES CRIADAS EM TANquES-REDE NO

DOS PRODuTOS E SuBPRODuTOS52
1.0 - A CRIAçãO DE PEIxES E O MEIO AquÁTICO56
12.0 - LEGISLAçãO APLICADA NA AquICuLTuRA EM ÁGuAS DA uNIãO58
13.0 - LINHAS DE CRéDITOS ExISTENTES61

10.0 - NOçõES BÁSICAS PARA DEFINIçãO DO CuSTO DE IMPLANTAçãO DO EMPREENDIMENTO E DO PROCESSO DE COMERCIALIzAçãO DO PESCADO,

EM PISCICuLTuRA E/Ou COMERCIALIzAM FORMAS JOVENS65

14.0 - ÓRGãOS ESTADuAIS E FEDERAIS quE PRESTAM ASSISTêNCIA TéCNICA 15.0 - BIBLIOGRAFIA CONSuLTADA ........................................................................ 68

1.0 - Introdução

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba – Codevasf, empresa pública federal instituída em 1974, possui como foco principal em seus programas e ações o desenvolvimento regional. É responsável por grandes avanços registrados na piscicultura brasileira, assim, na década de 80, importou da Hungria, adaptou e difundiu nacionalmente a tecnologia refinada da propagação artificial de peixes, que proporcionou a produção em alta escala de alevinos, tornando a piscicultura de água doce uma atividade em expansão em todo o País. A partir daí, a Codevasf desenvolveu a tecnologia da reprodução artificial de dezenas de espécies nativas da bacia do São Francisco, dentre elas o surubim (Pseudoplatystoma corruscans) e o pirá (Conorhynchos conirostris), sendo este considerado o peixe símbolo do São Francisco, por ser uma espécie endêmica. Nesta mesma década, a Codevasf deu início às pesquisas de criação intensiva de peixes em gaiolas no reservatório de Três Marias, em Minas Gerais.

Atualmente, os sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Empresa produzem cerca de 18 milhões de alevinos/ ano, destinados à recomposição da ictiofauna, pesquisas, unidades de capacitação, piscicultura comercial e à segurança alimentar com peixamentos em inúmeros açudes públicos.

A ambiência favorável à aquicultura continental deve-se ao potencial representado, especialmente pelo grande número de corpos hídricos – rios e reservatórios – aptos aos empreendimentos de produção de pescado em tanques-rede presentes em todo o território nacional e à criação da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca da Presidência da República – SEAP/PR, atualmente Ministério da Pesca e Aquicultura - MPA, que tem como um dos propósitos o estabelecimento de bases para o ordenamento da produção de pescado, por meio da centralização processual na liberação de espaço físico em águas da União para fins de aquicultura.

(Parte 1 de 7)

Comentários