Breve Análise Sobre a Participação do Bacharel em Turismo no Mercado de Trabalho

Breve Análise Sobre a Participação do Bacharel em Turismo no Mercado de Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

DEPARTAMENTO DE TURISMO

CURSO DE TURISMO

LEANDRO MARTAN BEZERRA SANTOS

Breve Análise Sobre a Participação do Bacharel em Turismo no Mercado de Trabalho

NATAL

2011

LEANDRO MARTAN BEZERRA SANTOS

Breve Análise Sobre a Participação do Bacharel em Turismo no Mercado de Trabalho

Artigo Científico apresentado à Disciplina “Turismo – Organização e Dinâmica”, do Curso de Graduação em Turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, como um dos elementos de avaliação da mesma.

Orientadora: Profa. Dra. Juliana Vieira

Natal/ RN

2011

ÍNDICE

Resumo........................................................................................................ Pág. 4

Introdução................................................................................................... Pág. 5

Desenvolvimento......................................................................................... Pág. 6

Conclusão.................................................................................................... Pág. 8

Referências Bibliográficas......................................................................... Pág. 9

RESUMO

Este trabalho visa esclarecer o panorama atual do mercado de trabalho para o Bacharel em Turismo, bem como apontar mudanças na formação superior dos mesmos, visando uma melhor adequação do profissional às necessidades do mercado.

A regulamentação da atividade dos profissionais em turismo é analisada brevemente, levando-se em consideração a pequena quantidade de bacharéis em turismo ocupando cargos públicos.

Palavras - chave: Mercado de trabalho; Bacharel; Formação; Turismólogo; Setor Público.

ABSTRACT: 

This work aims to clarify the current situation of the labor market for the Bachelor of Tourism, as well as changes in higher education point to the same, seeking a better match the needs of the professional market.

  

 The regulation of professional activity in tourism is examined briefly, taking into account the small number of graduates in tourism occupying public office.

Keywords: Marketwork; Bachelor; Training; tourismologist; Public Sector

INTRODUÇÃO

O turismo é um dos setores mais dinâmicos e que mais crescem no mundo, representando 10,7% do PIB global. Com mais de 260 milhões de empregados e investimentos anuais de mais US$ 800 bilhões, aparece em posição de competição com alguns dos maiores e mais tradicionais setores da economia mundial como a construção civil e a petroquímica (MINISTÉRIO DO TURISMO 2007).

Discussões sobre o mercado de trabalho de turismo são cada vez mais recorrentes, tendo em vista, principalmente, o reconhecimento da profissão do turismólogo por parte das autoridades legais.

Mudanças na formação do Bacharel em Turismo também são debatidas entre acadêmicos, visando uma melhor introdução do mesmo no mercado de trabalho.

DESENVOLVIMENTO

O gerenciamento e o planejamento turístico, do setor público, apresentam um contraste irônico: Bacharéis em Turismo, profissionais aptos e qualificados para pensar e gerir o produto turístico acabam, muitas vezes, sem oportunidades nos órgãos públicos, o que os faz migrar para outras áreas, e permite que profissionais com qualificações não relacionadas ao turismo, ocupem cargos que necessitam de conhecimento específico.

Diante de tal situação, e de uma desarticulação reconhecida pelas instituições públicas de planejamento, entidades de classe e pesquisadores, diga-se de passagem, que a desarticulação encontra-se interna e, também, entre estas instituições, vê-se mais um elemento que, ao mesmo tempo em que constitui-se como um excelente campo de empregabilidade para graduados em turismo, apresenta-se como uma dificuldade a mais para a inserção do profissional formado (ALEXANDRE ROCHA, Samir; NOVAES 2007, pág. 68/69).

Tomando-se, por exemplo, a hotelaria, é possível verificar uma enorme quantidade de vagas disponíveis no mercado de trabalho. Essas vagas, entretanto, são para atividades operacionais, como camareira, garçom, recepcionista e etc. Tal exemplo é comum em várias outras áreas ligadas ao turismo, o que acarreta no desperdício de profissionais capacitados a trabalhar nos altos cargos do turismo, além de desestimular a qualificação de futuros profissionais.

Atualmente, muito se tem discutido sobre o lugar do bacharel em turismo no mercado de trabalho, uma vez que se percebe a inserção de outros profissionais frente a assuntos que, acadêmica e profissionalmente, dizem respeito ao turismólogo. O próprio mercado começa a dar sinais de uma saturação de profissionais formados no setor do turismo e que já não conseguem inclusão no mercado de trabalho. Apesar do franco crescimento e posicionamento da atividade turística como diferencial nas economias mundiais, a procura por tais profissionais ainda é acanhada (SILVA, Marcos Campos 2008, pág. 2).

Para Degrazia, até hoje, o profissional Bacharel em Turismo é pouco valorizado por suas competências, o que gerou o distanciamento deste campo do conhecimento da iniciativa pública e privada. A concepção de mercado turístico advinda de um conceito mercantilista do lucro acima de tudo, sem preocupação com a qualidade e, muito menos, com o profissional da área foi o grande responsável por reduzir o entendimento do Turismo a noções meramente econômicas.

No mercado de trabalho atual, verifica-se um alto nível de exigência dos empregadores, tendo, por exemplo, longa experiência no mercado, cursos de idiomas, e, por vezes, a exigência de que o candidato à vaga já morou no exterior, o que, segundo alguns empregadores da área de turismo, comprovaria a fluência do candidato no idioma informado. Tais exigências, por outro lado, não são acompanhadas de boas remunerações, o que acaba, de certa forma, afastando os profissionais do mercado de trabalho.

A atividade turística requer uma revisão de planejamento e planos de turismo sérios que prevejam situações mais concretas, dentre as quais ficou destacada a empregabilidade dos turismólogos, o que torna claro o fato de que não basta investimentos em equipamentos hoteleiros ou centros de eventos, se não houver profissionais qualificados ao atendimento do turista, que está cada vez mais exigente (ALEXANDRE ROCHA, Samir; NOVAES 2007, pág.71).

Relação da grade curricular dos cursos de Graduação em Turismo, com o mercado de trabalho

Na verdade, o que se tem atualmente é uma grande necessidade de ampliar as discussões e os debates, sobre a relação conflituosa entre as exigências do mercado de trabalho e o profissional formado nos cursos de bacharelado em turismo (COSTA, Irena Oliveira).

Diante do leque de segmentos na área de turismo, os cursos superiores na área estão cada vez mais específicos, com várias instituições passando a oferecer cursos como Gastronomia, Hotelaria, Gestão do Lazer e Produção Cultural.

Segundo Degrazia, os cursos superiores devem formar profissionais capazes de atuar em condições dinâmicas de mercado. Para isso, os currículos devem ser elaborados baseados em pesquisas de necessidades, em condições de qualidade acadêmica para o aluno e principalmente calcados nas novas tendências educacionais.

CONCLUSÃO

Com o mercado de trabalho cada vez mais saturado, o Bacharel em Turismo tende a buscar oportunidades em outras áreas, o que torna a relação Bacharel x Mercado de Trabalho desequilibrada, pois não há exclusividade dos turismólogos na ocupação das vagas públicas do turismo. Deve-se incentivar a inclusão do turismólogo nas linhas de planejamento e execução das atividades turísticas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALEXANDRE ROCHA, Samir; NOVAES, Carla Andrade 2007. A problemática do turismo, academia e empregabilidade do profissional no mercado: Um ensaio. Disponível em <http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf/2233/223314983005.pdf> Acesso em 27 Jun. 2011.

MIISTÉRIO DO TURISMO. O mercado de trabalho na área de turismo 2007. Disponível em <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/O_MERCADO_DE_TRABALHO_NA_xREA_DE_TURISMO.pdf > Acesso em 27 Jun. 2011.

DEGRAZIA, Carolina Figueiró. Construindo competências na formação profissional em turismo. Disponível em <http://www.periodicodeturismo.com.br/site/artigo/pdf/Construindo%20Compet%C3%AAncias%20na%20%20Forma%C3%A7%C3%A3o%20Profissional%20em%20Turismo.pdf > Acesso em 27 Jun. 2011.

SILVA, Marcos Campos da. Perspectivas de atuação do bacharel em turismo em

Empresas não turísticas: Um olhar sobre a situação do

turismólogo em Belo Horizonte, Minas Gerais. Disponível em <http://www.faminasbh.edu.br/revistaeletronica/download/Volume3/art09.pdf > Acesso em 27 Jun. 2011.

COSTA, Irena Oliveira. A formação do futuro egressodo curso de bacharelado em turismo: Preparando empreendedores para a prática profissional. Disponível em <http://www.periodicodeturismo.com.br/site/artigo/pdf/A%20FORMA%C3%87%C3%83O%20DO%20FUTURO%20EGRESSO%20DO%20CURSO%20DE%20BACHARELADO%20EM%20TURISMO%20PREPARANDO%20EMPREENDEDORES%20PARA%20A%20PR%C3%81TICA%20PROFISSIONAL.pdf > Acesso em 27 Jun. 2011.

10

Comentários