Reúso piscicultura - Revista RCA

Reúso piscicultura - Revista RCA

(Parte 1 de 2)

Revista Ciência Agronômica, v. 40, n. 2, p.232-239 abr-jun, 2009 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE w.ccarevista.ufc.br ISSN 1806-6690

Crescimento e qualidade dos alevinos de tilápia do Nilo produzidos em esgoto doméstico tratado1

Growth and quality of Nile Tilapia fingerling product in treated domestic sewage

Emanuel Soares dos Santos2*, Moisés Almeida Oliveira3, Suetônio Mota4, Marisete Dantas de Aquino5 e Marcos Medeiros de Vasconcelos6

Resumo - O presente trabalho teve como objetivo avaliar a viabilidade da utilização de esgoto doméstico tratado durante a alevinagem da tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus. Foram utilizados três viveiros de 50 m³ de volume, um deles abastecido com água de poço e outros dois viveiros abastecidos com água de esgoto doméstico tratado proveniente de um sistema de lagoas de estabilização. Nos dois últimos viveiros foi comparado o efeito da aeração adicional por um aerador mecânico de sucção instalado em um dos tanques. Os viveiros foram povoados com alevinos de tilápia, revertidos sexualmente para machos, com peso médio de 1,5 g e densidade de estocagem de 12 alevinos/m². O experimento durou 49 dias e a meta de cultivo foi atingir um peso médio final de 40,0 g, o peso médio padrão para povoamento em tanques-rede na piscicultura regional. Foram monitorados os parâmetros de crescimento em peso e comprimento e examinados os níveis de contaminação por patógenos nos músculos, vísceras e pele dos peixes. Ao final do período verificou-se a viabilidade da alevinagem da tilápia do Nilo com utilização da água de esgotos domésticos tratados, desde que se utilize aeração mecânica adicional. Constatou-se ainda que na despesca, os níveis de contaminação do pescado apresentaram-se dentro dos limites permitidos pela legislação sanitária vigente.

Palavras-chave - Reuso de esgoto doméstico. Produção de proteína de peixe. Aeração mecânica. Tilápia.

Abstract - This paper aims to assess the feasibility of the use of domestic sewage to produce Nile Tilapia fingerling, Oreochromis niloticus. Three fish-ponds with a 50 m3 volume have been used, one of them is supplied with well water and the other two with treated domestic sewage coming from a system of stabilization ponds. In the two last ponds, the effect of the additional aeration utilizing a suction aerator was compared. All the fish-ponds were populated by tilapia fingerling, sexually reverted to males, with mean weight of 1.5 g, storage density of 12 fingerling/m2 .The experiment lasted for 49 days, and the fingerling should get to the final mean weight of 40.0 g (standard mean weight for the storage in net tanks used in the regional fish culture). The growth parameters have been analyzed according to the weight and length and the levels of contamination by pathogens in the muscles, visceral organs and skin of the fishes. As a conclusion, the feasibility of the use of domestic sewage to produce Nile tilapia fingerling treated in a system of stabilization ponds with the use of additional mechanic aeration. It has also been observed that, in the harvest, the contamination levels in the fish are within the limits allowed by the current sanitary legislation.

Key words - Reuse of sewage. Production of fish protein. Aeration mechanics. Tilapia.

*Autor para correspondênciaRecebido para publicação em 06/10/2006; aprovado em 20/02/2009 Este experimento faz parte da pesquisa financiada pelo fundo setorial CT-HIDRO, pelo CNPq, e em parceria com a CAGECEDoutorando em Saneamento Ambiental, Bolsista CNPq, Rua: Inácio Vasconcelos, 221, apt°, 1013, Bairro Messejana, CEP: 60 830-100,

Fortaleza, CE,esspesca@yahoo.com.brEng. Pesca, D. Sc., Prof. do Depto Engenharia de Pesca, CCA/UFC, CEEng. Civil, D. Sc., Prof. do Depto de Engenharia Hidráulica e Ambiental, CT/UFC, CEEng. Pesca, D. Sc., Prof. do Depto de Engenharia Hidráulica e Ambiental, CT/UFC, CEEng. Mecânico, M. Sc., Pesquisador do Centro de Pesquisas em Reuso de Águas da CAGECE/UFC, CE

Rev. Ciênc. Agron., v. 40, n. 2, p. 232-239, abr-jun, 2009233

Crescimento e qualidade dos alevinos de tilápia do Nilo produzidos em água de esgoto doméstico tratado

Introdução

O aumento populacional está estimulando um crescimento forçado dos sistemas de produção, e esse aumento, está gerando um uso abusivo dos recursos hídricos. Dentre os sistemas de produção de alimentos que mais cresce, estão a agricultura irrigada e a aquicultura. Estas questões aliadas à multiplicidade de uso das águas continentais apontam para o fato de que não é mais possível vislumbrar o crescimento da agricultura irrigada e da aqüicultura sem que haja um melhor planejamento para a otimização dos usos dos recursos hídricos (LIMA et al., 2008).

A água residual, quando bem tratada e reciclada, é uma valiosa alternativa como fonte hídrica possibilitando a redução da procura por novas retiradas dos corpos d’água, assim, o reuso de água residual reduz a pressão exercida sobre os recursos hídricos.

Os sistemas de lagoas de estabilização, através da decomposição da matéria orgânica, geram uma grande biomassa de microalgas que podem ser aproveitadas na agricultura irrigada assim como na aquicultura. Por exemplo, com o cultivo de peixes fitoplanctófagos, que transferem a energia molecular contida na água para sua própria carne e esta pode ser utilizada pelos seres humanos através do consumo da carne dos peixes. Evidentemente, na medida em que o peixe consome as algas contidas na água, haverá uma melhoria na qualidade dessa água (FELIZATTO, 2000).

Loures et al. (2001) citam que a tilápia se alimenta de fitoplâncton através do mecanismo de filtração, demonstrando, dessa forma, que essa espécie de peixe é filtradora. Segundo Castagnoli e Cyrino (1986 apud LOURES et al., 2001) a tilápia é preferencialmente fitoplanctófaga e o espectro alimentar aumenta com o crescimento do peixe.

Dentro dos seus limites, as tilápias são espécies de peixes que se adaptam a diferentes condições de qualidade da água. Toleram bem baixos níveis de oxigênio dissolvido, tendo crescimento sensivelmente afetado em concentração abaixo de 3,0 mg L-1 (TRAN-DUY et al., 2008), desenvolvem-se em uma ampla faixa de acidez e alcalinidade na água, crescem e até reproduzem-se em águas salobras ou salgadas e apresentam tolerância a altas concentrações de amônia quando comparada a maioria dos peixes cultivados, El-Shafai et al. (2004) concluíram que concentrações de até 0,434 mg L-1 de amônia não ionizada não provocaram morte em tilápia do Nilo.

Quanto às exigências de qualidade da água a ser utilizada em sistemas de reuso Colt (2006), sugeriu dois critérios gerais: o critério da espécie a ser usada no sistema de reuso e o critério do processo e/ou operação do sistema a ser usado. Neste experimento são atendidos os dois critérios expostos pelo autor acima citado: sendo obedecidas as exigências da espécie, a tilápia do Nilo, pela sua reconhecida rusticidade. E o critério dos sistemas utilizados, que foi a aquicultura seguindo, em harmonia, o sistema de lagoas de estabilização.

Ainda são escassas as informações sobre a viabilidade técnica, econômica e sanitária dessa prática com base na realidade nacional. Torna-se assim, necessário testar sua viabilidade sob diferentes condições como: clima, métodos de cultivo, espécies a serem cultivadas e qualidade do efluente.

Com a realização deste trabalho nosso objetivo foi estudar o reuso de esgotos domésticos tratados em lagoas de estabilização, para assim obtermos informações que possam subsidiar a execução de práticas de cultivo, tanto do ponto de vista científico como para desenvolvimento da atividade a níveis comerciais.

Material e métodos

Os experimentos foram realizados no Centro de

Pesquisa em Reuso de Águas, situado em uma estação de tratamento de esgoto (ETE) da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), no município de Aquiraz, Ceará, Brasil, composta de quatro lagoas de estabilização em série, constando de uma lagoa anaeróbia, uma facultativa e duas lagoas de maturação, sendo a água de abastecimento dos viveiros retirada dessas últimas.

Foram utilizados neste experimento, três viveiros com 50 m³ de volume, cobertos com tela de nylon para proteção contra predadores. Foram estocados alevinos de tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus, com peso médio inicial de 1,5 g, revertidos sexualmente para machos, em uma densidade experimental de 12 alevinos m-² (600 alevinos/viveiro) e ofertada ração balanceada quatro vezes ao dia, de segunda a sábado. As taxas de arraçoamento decresceram semanalmente de 14% a 5% da biomassa estocada, totalizando 26,0 kg de ração por viveiro, aproximadamente.

Foram testados três tratamentos com duas repetições, conforme descrição a seguir:

1° Tratamento – viveiro experimental 1 (VE-1): foi abastecido com esgoto doméstico tratado no sistema de lagoas de estabilização sem aeração;

2° Tratamento – viveiro experimental 2 (VE-2): foi abastecido com esgoto doméstico tratado e utilizou-se um aerador mecânico de sucção com ¾ de HP de potência, funcionando das 21:0 h às 06:0 h, diariamente;

3° Tratamento – viveiro testemunho (VT): foi abastecido com água proveniente de poço e definido como o teste em branco;

Rev. Ciênc. Agron., v. 40, n. 2, p. 232-239, abr-jun, 2009 234

E. S. dos Santos et al.

A duração de cada experimento foi de 49 dias. O primeiro teste foi realizado no período de 12/05/2005 à 30/06/2005 e ocorreu ao final da estação chuvosa na região, onde foram registradas precipitações pluviométricas em vários dias. A repetição do teste foi realizada de 01/08/2005 à 18/09/2005, durante a estação seca, período em que não se registrou precipitações.

As biometrias foram quinzenais, coletando-se aleatoriamente, com tarrafa, 60 alevinos em cada viveiro, 10% do estoque. Eram medidos os pesos médios em grama por peixe (g/peixe) e os comprimentos totais em centímetros por peixe (cm/peixe), para as avaliações dos rendimentos dos parâmetros zootécnicos, ganho de peso diário, ganho de biomassa diária e ganho de comprimento diário. Ao final do cultivo obteve-se também os dados de comprimento, biomassa e peso final além da taxa de conversão alimentar (CA) e da taxa de sobrevivência.

Para a avaliação da contaminação microbiológica do pescado, as amostras de pele, brânquias e músculos retirados do pescado, bem como da água de seus viveiros de origem foram acondicionadas em caixas de isopor devidamente identificadas e então enviadas para o LABOMAR (Instituto de Ciências do Mar – UFC), onde foram submetidas à análises microbiológicas de coliformes fecais, Salmonella spp e estafilococus coagulase positiva. Os valores de referência para os padrões microbiológicos foram os recomendados pela resolução RDC n°12 – da ANVISA, de 02 de Janeiro de 2001.

Resultados e discussão

Nos dados de biometria (Tabela 1), é possível observar que no 1° Tratamento (VE-1) obtiveram-se os piores resultados, onde na 1ª repetição chegou a 15,5 g/peixe e na 2ª repetição houve mortalidade de 100% dos alevinos estocados ainda no início do cultivo, provavelmente por

Tabela 1 – Resultados das biometrias, em peso médio (g peixe), para a alevinagem de tilápia do Nilo nos viveiros VE-1, VE-2 e VT

Peso médio (g/peixe)

* Mortalidade de 100% dos indivíduos estocados. VE-1: viveiro experimental 1; VE-2:viveiro experimental 2; VT: viveiro testemunho condições físico-químicas adversas na água de cultivo. Também é possível observar, o melhor desempenho do 2° Tratamento (VE-2), sobre os demais, onde foram alcançados os pesos médios de 64,7 e 68,0 g/peixe para as 1ª e 2ª repetições, respectivamente. No 3° Tratamento (VT) obtiveram-se os resultados intermediários.

As curvas de crescimento em peso dos alevinos cultivados nos três tratamentos experimentais VE-1, VE-2 e VT na primeira repetição são mostradas na Figura 1 e os da segunda repetição estão representados na Figura 2, onde podemos observar graficamente a superioridade de desempenho no 2° Tratamento em relação aos demais tratamentos. O 3° Tratamento em ambas as repetições teve resultados intermediários com o comportamento dentro dos padrões esperados.

Assim como os resultados apresentados anteriormente, os referentes ao crescimento em comprimento total seguem a mesma tendência onde o pior resultado foi no 1° Tratamento com 10,3 cm/peixe na primeira repetição e na segunda repetição foi ainda pior com a mortalidade total do estoque. É válido salientar novamente o melhor desempenho do 2° Tratamento, onde na 1° repetição alcançou 14,9 cm/peixe. Na análise desse parâmetro de crescimento, o 3° Tratamento alcançou 13,2 cm/peixe e 12,2 cm/peixe respectivamente, para primeira e segunda repetições (Tabela 2).

As curvas de crescimento em comprimento total dos alevinos cultivados nos três tratamentos experimentais VE-1, VE-2 e VT na primeira repetição são mostradas na Figura 3, e os da segunda repetição na Figura 4, onde podemos observar graficamente que os resultados seguem a mesma tendência dos dados de ganho de peso anteriormente citados, onde fica evidente a superioridade do 2° Tratamento e a inferioridade do 1° Tratamento nas duas repetições. O 3° Tratamento em ambas as repetições teve resultados intermediários com o comportamento dentro dos padrões esperados.

Rev. Ciênc. Agron., v. 40, n. 2, p. 232-239, abr-jun, 2009235

Crescimento e qualidade dos alevinos de tilápia do Nilo produzidos em água de esgoto doméstico tratado

Figura 1 - Curva de crescimento em peso (g peixe-1), obtida nos viveiros experimentais VE-1, VE-2 e VT na primeira repetição

Figura 2 - Curva de crescimento em peso (g/peixe), obtida nos viveiros experimentais VE-1, VE-2 e VT na segunda repetição

Tabela 2 – Resultados das biometrias, em comprimento total (cm/peixe), para a alevinagem de tilápia do Nilo nos viveiro VE-1, VE-2 e VT

* Mortalidade de 100% dos indivíduos estocados. VE-1: viveiro experimental 1; VE-2: viveiro experimental 2; VT: viveiro testemunho

Comprimento total (cm/peixe)

Figura 3 - Curva de crescimento em comprimento total (cm/ peixe), obtida nos viveiros experimentais VE-1, VE-2 e VT na primeira repetição

Figura 4 - Curva de crescimento em comprimento total (cm/peixe), obtida nos viveiros experimentais VE-1, VE-2 e VT na segunda repetição

Rev. Ciênc. Agron., v. 40, n. 2, p. 232-239, abr-jun, 2009 236

E. S. dos Santos et al.

Dos parâmetros zootécnicos tomados como base para avaliação da viabilidade do uso de esgoto doméstico tratado em lagoas de estabilização para alevinagem de tilápia do Nilo (Tabela 3), podemos enfatizar o resultado de ganho de peso diário do 2° Tratamento, em que na primeira e segunda repetições respectivamente, alcançaram 1,290 e 1,357 g dia-1, o que juntamente com as sobrevivências de 92,83 e 83,7% geraram uma produtividade igual a 143,7 e 136,28 kg ha-1 dia-1 que é proporcional a 52450,5 e 49742,2 kg ha-1 ano-1, respectivamente, sendo estes resultados superiores aos alcançados por outros pesquisadores.

Candido et al. (2005), em 120 dias de cultivo, alcançaram ganho de peso diário para tilápia do Nilo de 1,82, 1,87 e 2,13 g dia-1 em sistema de policultivo com camarão marinho. Já Khaw et al. (2008), no mesmo tempo de cultivo, alcançaram 1,12 e 1,49 g dia-1 testando duas linhagens diferentes de tilápia. Ridha e Cruz (2001), estudando a tilápia do Nilo, obtiveram crescimento diário de 1,167 e 1,181 g dia-1. Boscolo et al. (2001) e Neves et al. (2008) obtiveram valores de crescimento diário inferiores aos anteriormente relatados, de 0,48 e 0,71 g dia-1. Os resultados alcançados neste experimento (Tabela 3) ficaram compreendidos entre os valores citados acima.

(Parte 1 de 2)

Comentários