BRASIL final NOVO copa 2014

BRASIL final NOVO copa 2014

(Parte 1 de 5)

ficha técnica

JEAninE PiREs Presidente

FGV – FUnDAÇÃO GETÚLiO VARGAs

Presidente CARLOs iVAn siMOnsEn LEAL Coordenação Geral do Estudo LUiz GUsTAVO BARBOsA

Coordenação Técnica LUiz AnTOniO TAVAREs

Coordenação Executiva

AnDRé COELhO LAURA MOnTEiRO

Equipe Técnica

AnDRé COELhO CARLyLE FALCÃO CRisTiAnE REzEnDE ERiCk LACERDA FABíOLA BARROs JOÃO EVAnGELisTA LAURA MOnTEiRO LEOnARDO VAsCOnCELOs LUCiAnA ViAnnA MáRCiA MAGALhÃEs PAOLA LOhMAnn PAULO sTiLPEn ROBERTO PAsCARELLA sAULO ROChA

Pesquisadores

AnDRé COELhO FLáViA FROTA LAURA MOnTEiRO LUiz AnTôniO TAVAREs ROBERTO PAsCARELLA ROsALinA COUTO

Órgãos Colegiados e Comitês Executivos das cidades candidatas para Copa 2014 Órgãos Oficiais de Turismo das Unidades Federadas das cidades candidatas secretarias Estaduais e Municipais envolvidas com a Copa 2014 nas cidades candidatas AnAC - Agência nacional de Aviação Civil sebrae, ABih, Abrasel, senac, sindicatos estaduais nas cidades candidatas FOhB

MTur Esplanada dos Ministérios – Bloco U – 2º e 3º andares 70065-900 - Brasília - DF internet : http//w.turismo.gov.br

REPÚBLiCA FEDERATiVA DO BRAsiL

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente

MinisTéRiO DO TURisMO

LUIZ EDUArDO PErEIrA BArrETTO FILhO Ministro

Gabinete do Ministro

CARLOs ALBERTO DA siLVA Chefe de Gabinete

ALCiDEs EDíLiO VALEnTE hAsAni DAMAziO Assessores Especiais secretaria-Executiva

MáRiO AUGUsTO LOPEs MOysés secretário-Executivo secretaria nacional de Políticas do Turismo

AiRTOn PEREiRA secretário

Departamento de Promoção e Marketing nacional

MáRCiO FERREiRA DO nAsCiMEnTO Diretor secretaria nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo

FREDERiCO siLVA DA COsTA secretário

Departamento de infraestrutura Turística

ROBERTO LUiz BORTOLOTTO Diretor

ChARLEs CAPELLA DE ABREU Coordenador-Geral de Acompanhamento e Fiscalização

Departamento de Qualificação, Certificação e Produção Associada ao Turismo

REGinA CAVALCAnTE Diretora apresentação é com grande satisfação que o Ministério do Turismo oferece aos estados e municípios este Caderno de Propostas Estratégicas de Organização Turística das Cidades-sede da Copa do Mundo – 2014, elaborado em parceria com a Fundação Getúlio Vargas.

Realizamos o estudo nas 17 cidades pleiteantes a abrigarem jogos da Copa do Mundo para que, pouco tempo depois da escolha das doze sedes, os resultados pudessem já estar disponíveis. Decisão acertada, pois além de termos ganho tempo, o trabalho servirá para que todos os municípios analisados utilizem as informações em seu planejamento turístico.

Um megaevento como a Copa do Mundo de

Futebol abre uma oportunidade de promoção do País como destino turístico que muitos anos de campanhas publicitárias em todo o mundo não seriam capazes de oferecer. Vamos mostrar um país com inigualáveis belezas naturais, rica cultura, belas cidades e um povo alegre e receptivo. E vamos fazer isso permitindo ao turista usufruir de infraestrutura adequada nos destinos, qualidade do receptivo e nos demais serviços oferecidos, para que todos vivenciem a experiência de uma festa extraordinária produzida em um Brasil moderno, organizado, na linha de frente das mais importantes nações do mundo.

Para atingir esse objetivo, e buscando sempre o aperfeiçoamento da gestão pública do turismo, o Ministério do Turismo, em cooperação com estados, municípios e a iniciativa privada, trabalhará com os seguintes eixos de atuação:

1) estruturação e preparação das cidades-sede, executando o aperfeiçoamento da infraestrutura básica necessária à atividade turística, como revitalização de áreas consideradas de alto potencial turístico, aperfeiçoamento da sinalização turística e viabilização do aproveitamento turístico do entorno; 2) atratividade e satisfação do turista por meio da qualificação profissional de serviços como receptivos de aeroportos, estações, hotéis, funcionários de restaurantes, motoristas de táxi e outros serviços; 3) promoção do País por meio do planejamento de marketing, gerando com isso o aumento da exposição internacional e nacional do destino Brasil; e 4) crescimento sustentável de novos investimentos em diversas áreas, como a da atividade hoteleira, por meio da oferta de mecanismos de fomento.

As ações acima descritas visam proporcionar um melhor acolhimento aos visitantes e melhorar a competitividade dos destinos turísticos brasileiros, mas vão, principalmente, proporcionar desenvolvimento econômico e social, deixando um legado à população brasileira que aqui vive, trabalha e tem direito a um lazer de qualidade. A organização de um megaevento como esse só tem sentido se, no final, servir para deixar um Brasil melhor para todos os brasileiros.

LUiz EDUARDO PEREiRA BARRETTO FiLhO Ministro do Turismo

1. introdução Entre os meses de junho e julho de 2014, o Bra- sil sediará a vigésima edição da Copa do Mundo de Futebol da FiFA (Fédération internationale de Football Association - Federação internacional de Futebol), um dos mais importantes eventos esportivos do mundo. Devido às dimensões desta competição, ao grande número de visitantes que deverão vir ao país e às exigências técnicas de um evento transmitido para o mundo todo, os próximos anos irão incidir em extensos processos de preparação e vultosos investimentos, tanto pelo setor público como por empresas privadas. Além disso, a enorme exposição do país na mídia, bem como os diversos legados ao país em termos de infraestrutura, tecnologia e capital humano, gerarão reflexos e benefícios em diversos setores da economia e da sociedade, sejam transientes ou duradouros, diretos ou indiretos.

Para o Brasil, a Copa do Mundo da FiFA representa mais do que o orgulho de ter o maior evento de futebol do planeta. é a oportunidade de traçar metas e objetivos para incremento de infraestrutura e serviços nos diversos setores que se relacionam com o megaevento. Além disso, os benefícios executados em uma cidade-sede exercerão influência direta nos municípios geograficamente próximos, gerando empregos, investimentos e desenvolvimento em geral.

O turismo é parte integrante deste contexto, uma vez que é de responsabilidade deste setor receber e cuidar dos visitantes e espectadores, em âmbitos nacional e internacional, que se interessam por este grandioso evento. Os investimentos em infraestrutura turística e serviços visam ao atendimento aos visitantes do evento e à promoção de uma imagem positiva do País, e à criação de bases sustentáveis para o aproveitamento do legado a ser deixado pelo evento.

Tendo em vista a necessidade de planejamento estratégico e organização da gestão pública, com a finalidade de maximizar os resultados para o Brasil, o Ministério do Turismo propõe, por meio deste trabalho, a estruturação de um modelo de ações para investimento e integração entre as cidades-sede dos jogos, com foco nas propostas geradas para o desenvolvimento turístico, que envolve áreas como infraestrutura, integração regional, marketing, qualificação, serviços e sustentabilidade geral do turismo.

Em abril de 2008, adiantando-se ao processo de planejamento para o evento, o Ministério do Turismo (MTur) realizou o seminário internacional Perspectivas e Desafios para o Turismo – Copa do Mundo 2014, sendo esta a primeira grande iniciativa no sentido de planejar a gestão do evento, do ponto de vista turístico, reunindo especialistas da áfrica do sul, Japão, China, Alemanha e Espanha. O evento teve por foco principal inserir o setor na agenda dos projetos ligados à Copa do Mundo de Futebol de 2014. neste documento, o Ministério do Turismo legitima sua busca pela consolidação do processo de pesquisa junto aos governadores, prefeitos e secretários dos destinos receptores de jogos da Copa do Mundo de Futebol. Do ponto de vista do Planejamento Estratégico, o MTur inicia processo de estruturação de suas ações para o megaevento, avançando para a formatação de um grupo gestor com participação de secretarias, Diretorias e Coordenações do Ministério. O compromisso do Governo Federal é validado pela atenção dedicada a cada uma das cidades-sede e predisposição de fazer o melhor pelo crescimento do turismo em âmbitos nacional e internacional, gerando crescimento econômico, equidade social e sustentabilidade ambiental.

1.1. copa do mundo de futebol da fifa, no brasil, em 2014

O Brasil espera receber 500 mil turistas estrangeiros na ocasião da Copa do Mundo e movimentar dezenas de milhões de brasileiros pelas cidades-sede, produzindo um impacto direto na atividade turística, gerando empregos e promovendo a sustentabilidade econômica, social e ambiental. segundo pesquisas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Fundação Getulio Vargas (FGV), os investimentos em infraestrutura e serviços previstos para Copa do Mundo de 2014 ultrapassam R$ 30 bilhões. Da construção de estádios ao treinamento de voluntariado, passando por temas como reformas de aeroportos, capacidade hoteleira, sistemas de segurança e meios de acesso, dentre outros, espera-se a geração de milhares de empregos e a exposição massiva da imagem do País em âmbito internacional.

A infraestrutura necessária para a realização do evento é complexa, compreendendo não apenas os estádios, que devem se adequar às especificações da FiFA, como também a estrutura de tecnologia de informação em cada cidade-sede, os centros de mídia (international Media Centers, ou iMCs) e de broadcasting (international Broadcasting Center, ou iBC), e as instalações dos Fan Parks (espaço urbano, timbrado pela FiFA, para exibição pública dos jogos). Adicionalmente, existem diversos aspectos da infraestrutura local que devem atender a determinados padrões necessários à viabilidade do evento, como complexos hoteleiros e acessos aos diversos modais de transporte que comportem o intenso deslocamento associado à Copa.

1.2. ministério do turismo

Reconhecer que megaeventos, como a Copa do

Mundo de Futebol da FiFA, podem ajudar na estruturação de desenvolvimento local e nacional, permite-nos entender que, por intermédio do prazo definido para a realização do evento, é possível antecipar projetos e ações, aliar esforços divergentes e acelerar processos fundamentais em prol de uma execução ótima do evento. A Copa deve ser encarada, portanto, como uma oportunidade de mobilização ímpar para realização de projetos que, por diversos motivos, não obtinham a prioridade devida.

O Ministério do Turismo tem compromisso com o desenvolvimento sustentado dos destinos turísticos e com a perpetuação das ações no processo de consolidação de um setor gerador de emprego e renda. no escopo de seus programas de políticas públicas e desenvolvimento do turismo, o Governo Federal vem produzindo dados quantitativos e qualitativos que certamente auxiliarão as articulações e investimentos nos diversos gargalos identificados nas cidades-sede dos jogos da Copa do Mundo.

As 12 cidades-sede já fazem parte dos 65 Destinos indutores do Desenvolvimento Turístico Regional, que são o foco da atuação do MTur desde 2007. Esses destinos foram selecionados pelo MTur de acordo com suas características e potencialidades, que os tornam destinos indutores do desenvolvimento turístico regional. O objetivo é estruturá-los para atingir padrão de qualidade internacional, estimulando a maior permanência do turista antes, durante e após a Copa 2014.

(Parte 1 de 5)

Comentários