(Parte 1 de 5)

FRANK LLOYD WRIGHT: Considerações sobre sua vida e obra

São Luís 2010

FRANK LLOYD WRIGHT: Considerações sobre sua vida e obra

Trabalho apresentado à disciplina de Teoria e Prática do Projeto Arquitetônico como requisito parcial para obtenção da primeira nota.

São Luís 2010

Figura 01 Frank Lloyd Wright08
Figura 02 Visita ao arquivo de projetos14
Figura 03 Oficina – Lonas Tensionadas14
Figura 04 Oficina de Maquete14
Figura 05 Passeio monitorado pela escola14
Figura 06 Housenbaum House, 194019
Figura 07 Museu Solomon Robert Guggenheim20
Figura 08 Taliesin Spring Green, Wisconsin23
Figura 09 Taliesin West, Arizona24
Figura 10 Taliesin West, Arizona24
Figura 1 Taliesin West, Arizona25
Figura 12 FallingWater, Pensilvânia25
Figura 13 Edifício Larkin, Nova Iorque27
Figura 14 Edifício Larkin, interior28
Figura 15 Hotel Imperial, Japão29
Figura 16 Hotel Imperial, Vista 0129
Figura 17 Hotel Imperial, Vista 0229
Figura 18 Museu Guggenheim, Nova Iorque31
Figura 19 Guggenheim, Vista 0131
Figura 20 Museu Guggenheim32
Figura 21 Guggenheim32
Figura 2 Templo Unity, Vista 0134
Figura 23 Templo Unity, Vista 0234
Figura 24 Templo Unity, Vista 0335
Figura 25 Sinagoga Beth Sholom, Vista 0136
Figura 26 Sinagoga Beth Sholom, Vista 0237
Figura 27 Cadeira Larkin 190438
Figura 28 Cadeira MidWay Gardens, 191438
Figura 29 Cadeira para o Hotel Imperial, Tóquio, 192239
Figura 30 Cadeira Barrel, 193740
Figura 32 Mesinha Lewis, s/d40
Figura 3 Willian Grace40
Figura 34 Poltrona Origami, 194940

4 Figura 35 Escrivaninha Meyer, s/d............................................................ 40

5 SUMÁRIO

1 INTRODUÇAO06
2 BREVE BIOGRAFIA08
2.1 A Fundação Frank Lloyd Wright14
3 CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA15
4 PRINCIPAIS OBRAS2
4.1 Arquitetura Residencial2
4.2 Arquitetura Comercial e Institucional27
4.3 Arquitetura Religiosa3
4.4 Mobiliário37
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS41

6 1 INTRODUÇÃO

No início do século X, a arquitetura americana é marcada pelo

Ecletismo, também conhecido como junção de estilos. Este movimento não levava em consideração o contexto da época e, o projetar na arquitetura era visto como a execução de obras sem levar em consideração suas técnicas construtivas. Neste período, a indústria da construção estava em pleno processo de revolução com o aparecimento de novos materiais e novos métodos construtivos, por esse motivo, a mera reprodução de estilos se contrapunha com tais avanços.

Frank Lloyd Wright é considerado um dos mais importantes arquitetos do século 20, tendo destaque por sua arquitetura orgânica. Para ele, a arquitetura era muito mais que uma questão de criatividade e habilidade e sim, deveria funcionar como um agente comunicador capaz de emocionar.

Para Wright, o projeto deveria planejado de forma individual, considerando-se os aspectos de localização e finalidade. Segundo ele, forma e função eram indissociáveis. Sua valorização pelo orgânico, um dos conceitos fundamentais de sua obra, caracterizava uma contraposição ao Estilo Internacional europeu. Liderou o movimento da arquitetura conhecido como Prairie School e desenvolveu as Casas Usonianas.

Foi o responsável por mais de mil projetos, com pelo menos quinhentos destes construídos. Wright projetou desde residências, edifícios, escritórios, escolas, hotéis, templos e museus. Destacam-se também seus trabalhos com mobiliário e vitrais. Ressalta-se que, além de arquiteto, Wright foi escritor, palestrante, estudou engenharia, curso este não concluído. Em 1991, o American Institute of Architects conferiu um homenagem póstuma a Wright dando-lhe o título de “Maior arquiteto americano de todos os tempos”.

Esta pesquisa caracterizou-se como bibliográfica e teve como objetivo coletar informações acerca deste arquiteto modernista, ícone do século X. Com isso, pretendeu-se construir um campo conceitual acerca da sua forma de conceber os projetos arquitetônicos e as características de sua obra. Foi elaborada uma breve biografia, uma descrição de sua concepção arquitetônica e selecionada 06 obras agrupadas nas categorias: residencial, comercial/institucional e religiosa. Em cada uma delas, foram apresentadas as características gerais que as compõem.

Esta pesquisa não objetiva esgotar todos os aspectos, características e críticas da obra wrightiana, podendo ser utilizada como ponto de partida para estudos posteriores.

8 2 BREVE BIOGRAFIA

Nascido em Richland Center, uma pequena cidade agrícola de

Winsconsin – EUA, em 08 de junho de 1867, Frank Lloyd Wright. Sua mãe, Anna Lloyd Jones, era professora e seu pai, Willian Wright, era músico, pastor e advogado. Em 1870, a família de Wright muda-se para Weymouth, Massachusetts, por motivos de trabalho. Em 1876, Anna Lloyd, em visita a uma exposição de materiais educativos, conhece os blocos educacionais criados por Friedrich Froebel, que eram a base de uma nova teoria pedagógica voltada para a educação infantil. Para Stungo (2005:1),

[...] Sua mãe, de personalidade determinada, era uma mulher ambiciosa e envolvente, que sublimava as frustrações de seu casamento mal-sucedido no estímulo ao filho. Teve grande influência na formação de Wright. Ele adotou sobrenome materno Lloyd ainda adolescente, quando seus pais se divorciaram e, em sua autobiografia, creditou a ela a fixação dos rumos que tomou em sua vida, legando que Anna lhe contara de uma premonição tida quando grávida: seu filho viria a ser um grande arquiteto [...]

Figura 01: Frank Lloyd Wright Fonte: http://www.dearchitecturablog.com

Os blocos de Froebel eram constituídos por formas geométricas que podiam ser montadas a partir de várias combinações em composições tridimensionais. Em sua biografia, Frank Lloyd Wright menciona a importância desde jogo na formação de sua visão espacial, podendo mesmo tal composição geométrica vislumbrada em toda sua obra.

Após alguns anos, a família Wright se estabeleceu em Madison,

Wisconsin. Em 1881, os pais de Wright se separaram. Após 1885, data de homologação do divórcio, Frank LLoyd Wright, segundo conta em sua biografia, nunca mais teve contato com o pai.

Cursou todo o segundo grau em Madison (Winsonsin) e foi admitido na

Universidade de Wisconsin como estudante especial em 1886, pois, não há evidências de que ele tenha terminado o segundo grau. No meio acadêmico foi membro de uma fraternidade e estagiou na área de engenharia civil. Em 1887, Wright deixa a universidade, antes de sua graduação.

Mudou-se para Chicago, cidade esta em fase de reconstrução devido a um grande incêndio em 1871, e foi trabalhar no escritório de arquitetura de Joseph Lyman Silsbee. Após um ano, entra para a empresa Adler e Sullivan, como aprendiz de Louis Sullivan, um dos pioneiros na construção de arranha-céus.

[...] a despeito de sua falta de experiência, foi conduzido a assistente de Louis Sullivan. Ali iniciava-se uma das mais enriquecedoras experiências da longa vida de Wright. Embora mais tarde viesse a separação, Wright sempre reconheceu Sullivan como um professor exemplar, referindo-se a ele como seu Lieber Miester ou “Mestre Querido” [...] (STUNGO, 2005:12)

Aos 2 anos (1889) casou-se com Catherine Lee Tobin filha de um rico homem de negócios, com quem teve seis filhos e construiu uma casa no subúrbio de Chicago, conhecida como Casa e Estúdio de Frank Lloyd Wright. Seu casamento lhe rendeu status social, tornando-se conhecido pela sociedade americana.

A partir de 1890, torna-se responsável pela área de projetos residenciais desta empresa. Em 1893, deixou a empresa ao ser descoberto que Wright aceitava encomendas particulares de projetos para completar a renda da família. De acordo com Stungo (2005: 13),

[...] A carreira solo de Wright começou abruptamente em 1893, quando Sullivan o despediu por pegar projetos por fora. Construindo às pressas um estúdio em casa, Wright aceitou encomendas de milionários de Chicago, que fugiam dos famosos ventos gelados da cidade em direção ao verde tranqüilo de Oak Park [...]

Após sua saída da Adler e Sullivan, Wright estabeleceu seu escritório em sua própria casa, formado por um grupo de projetistas arquitetônicos. Até 1901, o escritório de Wright já havia terminado aproximadamente 50 projetos, incluindo muitas casas na Oak Park Avenue (Chicago).

Em 1904 desenha o edifício Larkin Building (Nova Iorque), e, em 1906, o

Unity Temple (Oak Park).

Em meados de 1909, Frank Lloyd Wright se separa de sua esposa e passa um ano na Europa com Mamah Cheney, que abandonou seu marido e duas filhas para viver com Wright, tornando-se mais tarde sua segunda esposa.

[...] Wright já era então famoso: imensamente fecundo, seus edifícios atraindo amplo interesse, clientes pulavam, ele ganhava bem. Mas estava entediado e, em 1909, jogou tudo para o alto, abandonou a mulher e os seis filhos por Mamah Cheney, uma feminista de opiniões independentes, mulher de um cliente e vizinho. A sociedade de Chicago escandalizou-se e os dois fugiram para a Europa. Assim começaram longos anos de isolamento [...] (STUNGO, 2005: 16)

O casal viaja por toda a Europa e Wright entrou em contato com os estilos das regiões que percorreu. Em 1916, visita o Japão onde desenha o Hotel Imperial.

Em 1911, o arquiteto, sem dinheiro, volta aos EUA. Sem clientes, começa a construção de sua residência numa propriedade de família, ao sul de Wisconsin, chamou a casa de Taliesin – cume brilhante em galês – esta casa representava o retiro de um mundo condenatório, um lugar para introspecção e reflexão, de onde emergiu a segunda grande fase de sua carreira (STUNGO, 2005).

Wright conseguiu seu sustento através do projeto do Hotel Imperial. O convite para o projeto foi a resposta para seus problemas financeiros. O hotel apresentou uma série de inovações tecnológicas, sendo fabulosamente decorado externa e internamente.

Se a vida profissional de Frank Lloyd Wright foi uma sucessão de conquistas, a vida pessoal foi marcada por desilusões, escândalos e tragédias. Em 1914, um funcionário de Taliesin incendiou a casa e assassinou sete pessoas, incluindo a esposa do arquiteto Mamah Cheney. Muitos tablóides na época afirmaram que era a punição divina pelo seu divórcio anos antes. Wright por sua vez, se reergueu dos escombros e reconstruiu a casa. Dez anos depois mais um incêndio a colocou em ruínas.

Ele teve um conturbado envolvimento com Mirian Nobel uma desconhecida que havia lhe escrito cartas de condolências. Contudo, Mirian Nobel era viciada em morfina e mentalmente instável, logo após o casamento, eles se separaram.

Dizem os estudiosos que Wright necessitava de admiração e aprovação feminina, justificada pela grande influência da mãe em sua vida e pelo afastamento do pai. Ainda casado com Mirian Nobel, ele inicia novo relacionamento com Olgivanna Hinzenberg, dançarina montegrina e discípula do místico russo Gurdieff.

Ao Olgivanna dar à luz um filho de Wright, Mirian Nobel o denuncia e leva o arquiteto à prisão, expulsando Olgivanna do hospital. Logo após sair da prisão, Wright se divorcia de Mirian Nobel e casa-se com Olgivanna Heizenberg. Esta vida privada repleta de escândalos afastou a clientela e, nos anos 20, houve poucos trabalhos para o arquiteto.

Neste período ele refugia-se em sua residência Taliesin já reconstruída e elabora uma série de esboços de prédios que jamais foram construídos, sempre pesquisando o uso de novas tecnologias e materiais (STUNGO, 2005).

Apesar da grande depressão dos anos 30, Wright projeta e constrói

Taliesin Fellowship, escola onde os alunos trabalham e avaliam os problemas da construção, no mesmo ano em que publica sua autobiografia, ampliada em 1943. Antes, em 1941, ganha uma medalha de outro pelo Royal Institut of British Architects.

Em 1931, este arquiteto visita o Brasil, por ocasião do concurso

Internacional para o Farol de Colombo. Nesta época, Wright passava, aos 64 anos, por uma espécie de isolamento profissional, pois via com olhos críticos os caminhos seguidos pela Arquitetura Moderna, principalmente, a valorização da estética da máquina, opondo-se veementemente à verticalização generalizada das cidades.

No período da I Guerra Mundial, desenvolve seus trabalhos mais importantes: Fallingwater, uma luxuosa casa na Pensilvânia, o S.C Jonhson and Son Administration Building, a primeira casa Jacobs e uma série de outras casa chamadas Usonianas. Frank Lloyd Wright morre em 09 de abril de 1959, em Phoenix (EUA).

QUADRO 01: Breve Cronologia

Período Acontecimento

(Parte 1 de 5)

Comentários