(Parte 1 de 3)

A conceituação de doença, o sua definição para o homem e as maneiras de abordá-las têm sofrido modificações com o passar dos anos.Desta forma , podemos agrupar os diversos conceitos em dois grandes grupos:

A concepção ontológica

A concepção dinâmica.

Essa concepção surgiu no final do século XIX,

(Medicina Moderna)na época da descoberta dos germes para cada doença deveria estar atrelada a uma causa(unicausalidade),e sustentou a teoria dos germes ou das doenças infecciosas.

Nesse período procurava-se, para cada doença, o seu agente específico (em geral, uma bactéria, vírus, protozoário ou fungo). Sua aplicabilidade foi responsável pelo isolamento de vários agentes microbianos, bem como definição das formas de transmissão,e prevenção das doenças.

Procura explicar a forma pela qual a doença surgiu ,acreditando-se que a partir do desequilíbrio entre o organismo e o ambiente, ocasionaria alterações patológicas no homem.Contrariamente à concepção ontológica, admite que este desequilíbrio pode ser causado pela multicausalidade - ou seja, vários fatores ou causas associadas. Entretanto, esse pensamento não é novo.

A idéia de multicausalidade propõe a existência de um processo interativo e de equilíbrio entre três elementos: o agente, o homem e o ambiente – nos quais o surgimento de um desequilíbrio levaria à doença A partir desse entendimento, desenvolveu-se a noção de risco, isto é, o risco que as pessoas estariam correndo de ter esta ou aquela doença em função de sua exposição a este ou aquele fator presente nelas mesmas, no ambiente ou no agente.

Partindo deste pressuposto várias patologias consideradas crônico-degenerativas passaram a serem analisadas sob o ponto de vista de controle dos fatores de risco implícitos a cada uma delas, propondo medidas preventivas relacionadas ao indivíduo (modificação dos estilos de vida: dieta, exercício, etc.); ao agente

(controle da produção de alimentos, uso adequado de antibióticos, etc.) e ao ambiente (controle da poluição ambiental).

Esta concepção tem produzido resultados importantes para a prevenção de uma série de doenças, especialmente as consideradas crônico-degenerativas.Como exemplo, podemos citar o sedentarismo e altas taxas de colesterol, como fatores de risco para doenças coronarianas; e o tabagismo, para o câncer.

Aguda -Produz sinais e sintomas logo após a exposição à causa, em um período determinado para sua recuperação. Pode ser decorrente de processos crônicos (complicações e/ou sintomas) e/ou infecciosos;

Crônica-Problemáticas de longo prazo, devidos à distúrbio ou acúmulo de distúrbios irreversíveis, ou estado patológico latente; apresenta evolução prolongada e sua resolução ocorre de maneira parcial;

Crônico-degenerativa-são situações de evolução lenta e gradual, geralmente assintomáticas, e não têm causa e/ou tratamento definidos. A assistência objetiva o controle dos fatores desencadeantes. Envolve a questão social e ambiental é importante fator de controle.

Assistência de enfermagem e as relações

interpessoais com o cliente, a família e a equipe multidisciplinar:

A enfermagem profissional ou moderna teve início na segunda metade do século XIX, quando passa a integrar-se ao trabalho do hospital, e tem por finalidade a recuperação do corpo biológico dos doentes, ou seja, o modelo clínico de assistência básica que até hoje dominante na assistência à saúde. O trabalho em Equipe deve ser valorizado para o bom andamento do serviço.

A formação das doenças crônico- degenerativas,estão ligadas às disfunções circulatórias, tem como ponto principal as alterações dos vasos sangüíneos. Ex : No envelhecimento as artérias vão perdendo sua elasticidade tornando-se mais endurecidas.

É a tensão, que é gerada na parede

das artérias, é denominada pressão arterial, que é o resultado da contração do coração a cada batimento e da contração dos vasos quando o sangue por eles passa. Esta pressão é necessária para que o sangue consiga chegar aos

locais mais distantes, como, por exemplo, a extremidade dos pés.

A Organização Mundial de Saúde padronizou a medida:

normal da pressão arterial entre os limites de 120/80mmHg a

Classificação da H.A de

acordo com a abordagem de

Risco hipertenso grau I (leve) é recomendado que seja controlado mediante uma dieta equilibrada, com diminuição da ingestão de sal, com a prática de atividade física regular, controle do peso corporal, abandono do consumo de cigarros, álcool e outras drogas, quando for o caso.

O hipertenso grau I e II (moderado e grave), além do controle dos fatores de risco modificáveis, necessitará da utilização de medicamentos para o resto da vida.

• Diuréticos tiazídicos (hidroclorotiazida) • Beta-bloqueadores (propranolol)

•Inib. da enzima conversora da angiotensina (captopril)

•Bloq.dos receptores da angiotensina (losartan)

•Antagonistas dos canais do cálcio (anlodipino)

O tratamento não-medicamentoso

São modificações no estilo de vida de comprovado valor na redução da pressão arterial: a redução do peso, a redução da ingestão de sódio, maior ingestão de potássio, uma dieta rica em frutas e vegetais e alimentos com pouco teor de gordura, a diminuição ou abolição do álcool e atividade física. Alimentos ricos em cálcio atualmente são preconizados em conjunto com toda a série de medidas dietéticas já citadas, que juntas são benéficas para a redução da PA.

Pacientes acamados

No caso de pacientes acamados os pés e as pernas devem permanecer elevados acima do nível do coração , para evitar estase venosa, pois melhora o fluxo sanguíneo.Em casos mais graves é solicitado a orientação do profissional

Fisioterapeuta, que também atende as medidas de prevenção , caso o serviço de saúde disponibiliza, o profissional de Educação

Física também é de importância dentro deste processo.

Arritmias Cardíacas

Arritmias são distúrbios da freqüência e do ritmo cardíacos causados por alterações no sistema de condução do coração. Podem ocorrer em pessoas com o coração normal ou ainda como resposta a outras doenças, distúrbios eletrolíticos ou intoxicação medicamentosa. A freqüência cardíaca normal varia de acordo com a idade - quanto menor a idade, maior a freqüência.

Diagnóstico

Através do Eletrocardiograma (ECG),

O eletrocardiograma (ECG) registra a atividade elétrica do coração, permitindo diagnosticar uma vasta gama de distúrbios cardíacos. Eletrodos são conectados aos pulsos,tornozelos e peito. São ativados 2 eletrodos de cada vez. Cada registro representa a atividade elétrica de uma região do coração. Quando auxiliar este procedimento, oriente a pessoa a ficar relaxada e imóvel, isto poderá acalmar o paciente.

Tratamento

O tratamento : Feito com medicamentos antiarrítmicos, cardioversão elétrica e implantação de marcapasso. O Marcapasso - É um aparelho acionado por bateria e que

aplica estímulos elétricos através de cabos com eletrodos que estão em contato com o

coração. Ele é usado para controlar falhas nos batimentos cardíacos.

Assistência de Enfermagem

Transmitir segurança à pessoa que apresenta arritmia

oferecer oxigênio, se necessário, para reduzir a hipóxia causada pela arritmia; observar os cuidados com a administração de antiarrítmicos

orientar a família e a pessoa acometida sobre os procedimentos a serem realizados; e, quando a alta for dada,destacar a importância do controle do estresse, de se evitar o uso do fumo e reduzir a ingestão de cafeína (café, chámate, chá preto, refigerantes a base de cola e outras comidas gordurosas).

(Parte 1 de 3)

Comentários