Manual Nutricao profissional4

Manual Nutricao profissional4

Manual de Nutrição Profissional

Capítulo 4

Plano alimentar e diabetes mellitus tiPo 1

Capítulo 1 – Os alimentos: calorias, macronutrientes e micronutrientes

Anelena Soccal Seyffarth

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Capítulo 2 – Alimentação e hábitos saudáveis

Deise Regina Baptista Mendonça

• Nutricionista Especialista em Administração Hospitalar e em Saúde

Pública

• Professora -adjunta do Departamento de Nutrição da Universidade

Federal do Paraná (UFPR)

• Coordenadora do Curso de Especialização em Nutrição Clínica da UFPR;

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Capítulo 3 – Determinando o plano alimentar

Anita Sachs

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Capítulo 4 – Plano alimentar e diabetes mellitus tipo 1 • Nutricionista Especialista em Nutrição Materno Infantil pela Unifesp com treinamento na Joslin Diabetes Center • Nutricionista da Preventa Consultoria em Saúde /SP

• Membro do Conselho Consultivo da Associação de Diabetes Juvenil de São Paulo

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Capítulo 5 – Plano alimentar e diabetes mellitus tipo 2

Celeste Elvira Viggiano

Municipal de São Caetano do Sul-SP

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Capítulo 6 – Plano alimentar nas complicações metabólicas, agudas e crônicas do diabetes: hipoglicemia, nefropatia, dislipidemias

Marlene Merino Alvarez

• Nutricionista do grupo de Diabetes da Universidade Federal Fluminense (UFF); • Mestra em Nutrição Humana pela UFRJ

Capítulo 7 - Plano alimentar nas situações especiais: escola, trabalho, festas, restaurantes e dias de doença

Gisele Rossi Goveia

• Membro do Conselho Consultivo da Associação de Diabetes Juvenil de São Paulo

Colaboradoras:

Ana Cristina Bracini de Aguiar

• Nutricionista Clínica do Instituto da Criança com Diabetes, do Rio

Grande do Sul.

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Clarissa Paia Bargas Uezima

Josefina Bressan Resende Monteiro

• Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Tecnológico (CNPq)

Juliane Costa Silva Zemdegs

• Nutricionista • Especialista em Nutrição em Saúde Publica pela UNIFESP

Kariane Aroeira Krinas

• Nutricionista • Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

Marisa Sacramento Gonçalves

• Nutricionista Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da

Bahia

• Residência em Nutrição Clínica - Hospital Universitário Antonio Pedro,

• Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da SBD – 2006/2007

MaNual de Nutrição teMas e autores

MaNual de Nutrição Profissional

CaPÍtulo 4

PLANo ALIMENTAR E DIABETES MELLITUS TIPo 1

Existem várias abordagens nutricionais para o controle do diabetes, e a melhor é aquela com que portador de diabetes e o profissional que o acompanha se sintam mais confortáveis, além de conseguirem o melhor controle. Algumas vezes, percebe-se que aquele plano alimentar desenhado no início do diagnóstico da doença não mais se ajusta às expectativas e aos tratamentos atuais, e aí a necessidade de um novo plano mostra-se evidente. Lembre-se de que a monitoração da glicemia em casa sempre será o nosso grande guia de tratamento. E para isso existem algumas estratégias: pirâmide alimentar, substituições e/ou equivalências e contagem de carboidratos.

A pirâmide alimentar recentemente teve uma adaptação à realidade brasileira, e salienta a impor-

3. substItuIções e/Ou equIvAlênCIAs Essa estratégia é útil para aqueles que querem seguir um plano alimentar mais estruturado para controle de peso e glicemia, mas que também querem a flexibilidade de poder criar seu próprio cardápio. A estratégia de substituições classifica os alimentos em grupos, que são similares em calorias e nutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras). Entre cada grupo, os alimentos podem ser substituídos entre si.

Plano alimentar e diabetes mellitus tiPo 1 Autor: Luciana Bruno

Objetivo: Evidenciar os diferentes métodos de terapia nutricional aos portadores de Diabetes tipo 1, para que o profissional possa decidir junto a seu paciente a melhor estratégia para ele, naquele momento.

gruPOCHO (g) quAntIDADes (medida Caseira) substItuIçãO (unidade)

Pães15g01 ft Pão Forma, ½ Pão Francês

03 col.(sopa) Arroz 01

Leite12g01 copo (240ml) Leite01 copo Iogurte Natural01 Fruta15g01 Maçã (peq.)01 Copo (150ml) Sal. Frutas01

Vegetais05g01 (Pires) Chá Crú02 Col. (sopa) Cozido00 Carne0g- - -0 Gorduras0g- - -0

4.1. Itens InDIsPensáveIs PArA utIlIzAr A COntAgem De CArbOIDrAtOs Acompanhamento com um médico endocrinologista diabetólogo que incentive essa terapia nutricional e possíveis ajustes.

Motivação do portador de diabetes e da equipe para iniciar uma nova terapia nutricional.

• grupo do leite (leite, iogurte);

• grupo dos vegetais.

Para o uso da contagem, teremos também que aprender a observar embalagens, conhecendo a quantidade de carboidratos dos alimentos, e, quando não houver a informação na embalagem, perguntar ao nutricionista e até mesmo nos serviços de informação ao consumidor.

É importante saber que o açúcar não é o único carboidrato que você tem que controlar. o corpo vai converter todos os carboidratos em glicose. Assim, porções extras de arroz, pão, fruta e leite também aumentam a glicemia. Àqueles em uso de terapia com múltiplas doses e leIturA COmPlementAr: Holler,JH.,Pastors,JG.Diabetes Medical Nutrition

Therapy – A professional Guide to Management and Nutrition Education Resources, American Diabetes Association, 1997;3-284.

The DCCT research group. The effect of intensive treatment of diabetes on the development and progression of long-term complications in insulin-dependent Diabetes Mellitus.N Engl J Med 1993;239;977-86.

Comentários