Qualidade da Água - CETESB

Qualidade da Água - CETESB

(Parte 5 de 5)

No monitoramento da qualidade das águas a CETESB avalia os efeitos tóxicos agudos e crônicos, tanto para amostras de água como de sedimento. Os efeitos agudos caracterizam-se por ser mais drásticos, causados por elevadas concentrações de agentes químicos, e em geral manifestam-se em um curto período de exposição dos organismos. Os efeitos crônicos são mais sutís, causados por baixas concentrações de agentes químicos dissolvidos, e são detectados em prolongados períodos de exposição ou por respostas fisiológicas adversas na reprodução e crescimento dos organismos vivos. Os ensaios ecotoxicológicos utilizados, bem como suas características, são descritos a seguir:

Ensaio de toxicidade aguda com a bactéria luminescente - Vibrio fischeri (Sistema Microtox)

Esse ensaio é utilizado para avaliar a ocorrência de efeitos agudos em corpos d'água onde o oxigênio dissolvido apresenta-se muito baixo, como é o caso de trechos de rios localizados na zona metropolitana de São Paulo. O resultado do ensaio é expresso em CE20, que é a concentração da amostra que causa inibição de 20% da emissão do luz emitida pelo microrganismo. Assim, quanto menor o valor da CE20 mais tóxica é a amostra analisada.

Ensaio de toxicidade aguda/crônica com o microcrustáceo Ceriodaphnia dúbia

Esse ensaio é utilizado para avaliar a ocorrência de efeitos tóxicos, agudos ou crônicos, em corpos d'água para os quais está prevista a preservação da vida aquática. O resultado do ensaio é expresso como agudo (quando ocorre letalidade de número significativo de organismos, dentro do período de 48 horas) ou crônico (quando ocorre inibição na reprodução dos organismos, dentro do período de sete dias). A amostra é considerada não tóxica caso não haja detecção de qualquer dos efeitos tóxicos.

Ensaio de toxicidade aguda/crônica com o anfípodo Hyalella azteca

Esse ensaio é utilizado para avaliar a ocorrência de efeitos tóxicos, agudos ou crônicos, em sedimentos coletados em recursos hídricos para os quais está prevista a preservação da vida aquática. O resultado do ensaio é expresso como agudo (quando ocorre letalidade de número significativo de organismos, dentro do período de 10 dias) ou crônico (quando ocorre inibição do crescimento de um número significativo de organismos, dentro do período de 10 dias). A amostra é considerada não tóxica caso não haja detecção de qualquer dos efeitos tóxicos.

Ensaios de Genotoxicidade

São ensaios que medem a capacidade de um composto ou mistura de causar dano ao material genético. Danos genéticos não reparados geram mutações nos organismos expostos as quais podem causar doenças como câncer, anemia, distúrbios cardiovasculares e neurocomportamentais, além de doenças hereditárias.

A CETESB utiliza o ensaio de mutação reversa (conhecido como teste de Ames ou ensaio

Salmonella/microsoma), o qual é eficiente para detectar uma grande variedade de compostos mutagênicos. As linhagens bacterianas utilizadas no teste apresentam características que as tornam mais sensíveis para detecção de mutações e o uso de diferentes linhagens na presença e ausência de sistema de metabolização in vitro pode fornecer informações importantes sobre a classe de compostos que estão presentes nas amostras avaliadas. No que diz respeito aos compostos carcinogênicos, a tabela a seguir apresenta alguns compostos orgânicos cancerígenos que são detectados pelo teste de Ames.

Composto orgânico - Classificação de acordo com a IARC (International Agency for Research on Cancer)

Benzo[b]fluoranteno 3,3'-Dimetoxibenzidina 4-Cloro-o-fenilenediamina CI Acid Red 114 CI Basic Red 9 Citrus Red N.º 2 Disperse Blue 1 3,3'-Dimetilbenzidina HC Blue N.º 1 2-Nitrofluoreno 2-Nitroanisole

Grupo 1 (composto comprovadamente cancerígeno para humanos) 4-Aminobifenila Benzidina 2-Naftilamina Aflatoxina

Grupo 2A (composto provavelmente cancerígeno para humanos)

Benzo[a]antraceno Benzo[a[pireno 4-cloro-o-toluidina Dibenzo[a,h]antraceno Metilmetano sulfonato N-nitrosodimetilamina N-etil-N-nitrosouréia N-metil-N-nitrosouréia N-nitrosodietilamina

Grupo 2B (composto provavelmente cancerígeno para humanos)

Para amostras ambientais os resultados do teste de Ames são expressos em número de revertentes (bactérias que sofreram mutações) por litro ou grama equivalente de amostra e quanto maior esse número, maior a quantidade ou a potência de compostos mutagênicos na amostra analisada. Considera-se amostras de corpos dágua com 0 a 500 revertentes/litro com atividade mutagênica baixa; de 500 a 2500 - moderada; de 2500 a 5000 - alta e valores maiores que 5000 - extrema.

Amostras que apresentam atividade mutagênica sugerem a necessidade de níveis de tratamento diferenciados quando a água é usada para consumo humano, bem como requerem a redução das fontes de contaminação.

FONTE: http://www.cetesb.sp.gov.br/Agua/rios/variaveis.asp

(Parte 5 de 5)

Comentários