A febre amarela e o turismo no Brasil

A febre amarela e o turismo no Brasil

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIMÓDULO

A FEBRE AMARELA E O TURISMO NO BRASIL

Disciplina: Ecoturismo IV

Docente: Maria de Lurdes Saez

Discente: Luís Rogério Gomes Zanuto

CARAGUATATUBA – 2008

A febre amarela e o turismo no Brasil

O setor turístico é influenciado por vários fatores como: econômico, político, climático, social, saúde pública dentre outros. Independente de o empresário fazer tudo o que está ao seu alcance para estar com seu negócio estar pronto para atender todas as necessidades dos seus clientes, ele simplesmente pode ficar sem clientes para atender por uma queda brusca na cotação de uma moeda, ou ainda passar pela mesma situação devido a um surto de alguma doença.

No final do ano de 2007 e início de 2008 apareceu na mídia televisiva e escrita, uma “epidemia”, que não se confirmou de farto. Considerando o país como um todo, a quantidade de casos (21) e falecimentos foi pequena (13) confirmados, considerando o período de 16 d dezembro de 2007 a 23 de março de 2008. Mesmo assim o Ministério da Saúde solicitou aos Ministérios do Turismo e Relações Exteriores que emitissem comunicados às embaixadas e agentes de turismo solicitando a vacinação de brasileiros e estrangeiros que fossem visitar áreas próximas a matas.

Apesar de não ter se confirmado a epidemia, o turismo sofreu perdas. O cancelamento de reservas em cidades que ficavam próximas a matas onde foram encontrados primatas mortos foi alta, e justamente no período de alta temporada. Até regiões que não tiveram casos de primatas, mas são regiões de mata apresentaram queda no número de turistas. Em Pirenópolis, na primeira quinzena de 2008, o município já contabilizava de 30 a 40% de queda na visitação à cidade.

É preciso evitar problemas no serviço turístico em si, seja na hospedagem, seja nos atrativos turísticos ou qualquer serviço ligado ao turismo, pois se tudo funcionando bem podem ocorrer prejuízos, com uma prestação de baixa qualidade este setor e o Brasil só tem a perder.

Fonte: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/febreamarela/noticias.php, acessado em 07/04/2008, 12h 02min.

Comentários